Máquina do Google será submetida a teste no 1o trimestre

segunda-feira, 13 de abril de 2009 17:16 BRT
 

Por Alexei Oreskovic

SAN FRANCISCO (Reuters) - Com três rodadas de demissões anunciadas desde o começo do ano, o Google está exibindo raros sinais de vulnerabilidade.

À medida que se prepara para anunciar seus resultados do primeiro trimestre, na quinta-feira, os investidores estão ansiosos para ver se a máquina do Google apresenta defeitos visíveis ou se a companhia líder em buscas na Internet dos Estados Unidos continua a evitar o pior da tempestade;

"Sempre que empresas de Internet cortam custos, as pessoas tomam as medidas de corte de custos como um sinal realmente negativo", disse Jeff Lindsay, analista da Sanford Bernstein.

Mas ele disse que o número de buscas na Web via Google continua a crescer, enquanto a receita da publicidade vinculada a buscas --usuários que clicam nos anúncios em formato texto que o Google veicula ao lado dos resultados de buscas-- parece estar se sustentando.

"Acreditamos que eles estejam cortando custos de forma prudente e sensata, e isso é provavelmente boa indicação de que seu desempenho com relação a margens será positivo", diz Lindsay, que recomenda as ações do Google.

Com a economia mundial rateando, e um recente relatório que prevê queda de 5 por cento no investimento em publicidade online este ano nos Estados Unidos, as condições de negócios para o Google e outras empresas de Internet são as piores em muito tempo.

Os analistas esperam que o Google sofra sua primeira queda consecutiva de receita desde sua abertura de capital. A previsão média, de acordo com a Reuters Estimates, é que a receita do primeiro trimestre seja de 5,53 trilhões de dólares, ou 3 por cento de queda com relação ao trimestre anterior, ainda que 6,6 por cento acima da receita do período um ano antes.

Mas isso ainda supera o desempenho dos rivais do Google. O Yahoo prevê queda de vendas de até 16 por cento no primeiro trimestre ante o mesmo período em 2008. E alguns analistas consideram que a receita da divisão America Online da Time Warner deva cair 19 por cento ou mais no primeiro trimestre, ante um ano atrás.