Toshiba reduz previsão de prejuízo operacional em 2009

sexta-feira, 17 de abril de 2009 09:48 BRT
 

Por Sachi Izumi e Mayumi Negishi

TÓQUIO (Reuters) - A Toshiba informou que vê um prejuízo operacional este ano 11 por cento menor do que projeções anteriores depois que os preços de memória flash se estabilizaram, ajudando suas ações a subir 4,4 por cento.

Mas a companhia, segunda maior fabricante mundial de memória flash tipo NAND depois da Samsung Electronics, alertou que as condições de negócios ainda não estão melhorando e afirmou que suas operações com chips continuarão no vermelho neste ano.

"O ambiente de negócios não se recuperou o suficiente para que façamos comentários otimistas", disse Fumio Muraoka, vice-presidente-executivo da Toshiba, em um informe à imprensa.

Fabricantes de semicondutores tem sido prejudicados por fortes quedas nos preços e na demanda por chips, levando alguns a pedir proteção contra falência e outros a procurar parceiros.

A Toshiba prevê um retorno ao lucro operacional do grupo no ano financeiro que começa neste mês, com a ajuda de um plano de corte de despesas no valor de 3 bilhões de dólares anunciado anteriormente.

Muraoka acrescentou que a empresa manterá um corte de 30 por cento na produção de sua principal unidade do chips NAND pelo menos até junho.

A Toshiba informou que agora estima um prejuízo operacional de 250 bilhões de ienes (2,5 bilhões de dólares) para o ano financeiro encerrado ema 31 de março, abaixo da previsão anterior de 280 bilhões de ienes. A previsão mais otimista está apoiada em vendas melhores do que o esperado dos chips NAND, utilizados em celulares e dispositvos de música portáteis como o iPod, da Apple.

Analistas em média previam uma perda de 283,2 bilhões de ienes, segundo uma pesquisa da Reuters Estimates com 15 corretoras. Porém, a companhia ampliou em 25 por cento sua estimativa de prejuízo líquido, para 350 bilhões de ienes.

"Um prejuízo operacional menor é positivo, mas nós realmente não podemos dizer que isso é significativo o suficiente para alavancar uma grande mudança na potência financeira da companhia", disse Ikuo Matsuhashi, analista do Goldman Sachs, em uma nota a clientes.

"Mesmo se os preços do NAND se estabilizarem, a dura perspectiva para o mercado de chips continuará".