Resultado da Celestica supera expectativa e ações sobem

quinta-feira, 23 de abril de 2009 14:04 BRT
 

Por Wojtek Dabrowski

TORONTO (Reuters) - A demanda por bens de consumo como os celulares inteligentes está ajudando a Celestica, uma fabricante terceirizada de eletrônicos, a evitar abalos causados pela crise econômica, declarou o presidente-executivo da empresa nesta quinta-feira.

"Em termos de potencial, isso é significativo", disse Craig Muhlhauser à Reuters, sobre o mercado de celulares inteligentes. "Temos alguns programas novos em preparação, de modo que estamos otimistas quanto à nossa capacidade de concorrer e vencer nesse mercado".

Os celulares dotados de amplos recursos, como o BlackBerry, da Research In Motion, mantiveram fortes vendas a despeito da recessão, e continuam a beneficiar as operadoras de telefonia móvel que oferecem esses aparelhos aos seus assinantes.

No começo desta quinta-feira, a Celestica --que também produz o console de videogame Xbox 360, da Microsoft-- apresentou resultados trimestrais mais baixos, porque as dificuldades econômicas afetaram seus lucros.

Ainda assim, a receita superou as expectativas dos analistas e as ações da empresa subiram 0,57 dólar canadense, ou cerca de 10 por cento, para 6,25 dólares canadenses na bolsa de Toronto.

A receita nos três meses encerrados em 31 de março caiu a 1,47 bilhão de dólares, ante 1,84 bilhão de dólares um ano atrás, porque suas clientes reduziram suas despesas com os produtos que a Celestica fabrica.

"A demanda do consumidor final não está nos beneficiando", disse Muhlhauser depois da assembléia anual de acionistas da empresa, acrescentando que "o desafio está realmente no mercado empresarial e de comunicações".

O mercado de telecomunicações há muito é um ponto fraco para a Celestica. A empresa, que tem entre seus clientes gigantes da computação como a IBM e a Hewlett-Packard (HP), vem procurando por novos negócios no segmento de bens eletrônicos de consumo, a fim de compensar a queda de demanda em outras áreas.

Embora Muhlhauser tenha afirmado que a visibilidade quanto ao futuro continua limitada devido à recessão e seus efeitos, ele também declarou que a crise econômica está criando oportunidades de aquisição.

"É cedo demais para dizer realmente o que se pode acontecer, mas o assunto está em pauta agora", ele disse, sem acrescentar comentários.