Celular é vital, mas ar condicionado nem tanto, diz pesquisa

sexta-feira, 24 de abril de 2009 19:07 BRT
 

NOVA YORK (Reuters) - De que você abriria mão com mais facilidade: do ar condicionado ou do celular?

Em um momento em que muita gente busca reduzir gastos devido à crise, muitos norte-americanos consideram que celulares e computadores são itens essenciais, enquanto secadoras de roupa, ar condicionado e micro-ondas são mais supérfluos, segundo pesquisa do Pew Research Center.

"Um relativo recém-chegado nas vidas cotidianas da maioria dos norte-americanos, o celular está entre um punhado de novos dispositivos que se mantiveram na escala de necessidades entre 2006 e 2009", disse o instituto.

O número de pessoas que considera o forno de micro-ondas necessário em seus lares caiu 21 pontos percentuais entre 2006 e 2009. O ar condicionado teve queda de 16 pontos e as lavadoras de pratos perderam 14 pontos, segundo a pesquisa.

O desemprego, a recessão e a escassez de crédito convenceram os norte-americanos a reduzirem no último ano o consumo de qualquer coisa que seja considerada desnecessária ou um luxo.

Isso afetou muito o varejo. As vendas no final de 2008 foram as piores em quase 40 anos.

Mas os aparelhos eletrônicos estão cada vez mais presentes nas casas. Celulares, TVs de tela plana e o tocador iPod agora aparecem na categoria de itens obrigatórios, segundo a pesquisa que ouviu 1.003 adultos.

O número de pessoas que acha as TVs planas essenciais subiu 3 pontos; o iPod avançou 1 ponto percentual nessa escala.

Apesar da crise, os consumidores não abandonaram sua paixão por carros. Desde 2006, houve um declínio de apenas 3 pontos percentuais no total de pessoas que veem no veículo uma necessidade para o seu dia-a-dia.

(Reportagem de Aarthi Sivaraman)