Canon melhora projeções, mas Fujifilm demite 5 mil

quinta-feira, 30 de abril de 2009 12:39 BRT
 

Por Kiyoshi Takenaka e Nathan Layne

TÓQUIO (Reuters) - A japonesa Canon melhorou suas projeções anuais, em função dos cortes de custos e dos benefícios propiciados pela queda do iene, depois que uma queda acentuada na demanda por copiadoras e impressoras reduziu em 88 por cento seu lucro trimestral.

A demanda por equipamento e suprimentos de escritório, como cartuchos para impressoras, continua fraca, e a crise financeira mundial significa que as empresas demoram mais a substituir suas copiadoras e impressoras e as utilizam com menos intensidade.

Já a Fujifilm Holdings, uma rival na produção de câmeras digitais e equipamentos para escritórios que foi muito mais prejudicada pela crise, previu prejuízo operacional anual de 90 bilhões de ienes (923 milhões de dólares), e planeja reduzir sua produção de equipamentos e realizar 5 mil demissões.

A Canon, que também concorre contra a Xerox e a Ricoh, no início do mês adiou a construção de uma fábrica para componentes de cartuchos de impressoras no oeste do Japão, pela segunda vez, o que enfatiza ainda mais os problemas de demanda.

A Canon elevou em 12,5 por cento sua projeção de lucros operacionais para 2009, para 180 bilhões de ienes, ainda que isso represente uma queda anual de 64 por cento. A projeção para as vendas foi reduzida em 5 por cento, para 3,33 trilhões de ienes.

Ryosuke Katsura, analista da Mizuho Securities, disse que a mudança prevista no lucro operacional representava, na prática, uma projeção de queda, se desconsiderados os efeitos cambiais, mas que os resultados demonstram que a Canon está sustentando relativamente bem a sua posição.

"Havia quem antecipasse prejuízos para a Canon no primeiro trimestre, e por isso acredito que seja positivo que eles tenham conseguido realizar lucros", afirmou. "Os esforços de corte de custos da empresa merecem algum crédito, mas ainda não sei de que forma a companhia pode conseguir crescimento com eles".

A Canon também está se preparando para outro ano difícil.

"Provavelmente vai demorar um pouco para que a economia ingresse em uma recuperação convincente, e o iene provavelmente terá cotação bem mais alta que a do ano passado", disse o diretor executivo Masahiro Osawa. "Continuaremos a operar em um ambiente de negócios difícil".

A Canon não ofereceu projeção sobre o dividendo anual.