Prejuízo da Kodak é maior que o esperado

quinta-feira, 30 de abril de 2009 15:42 BRT
 

Por Franklin Paul

NOVA YORK (Reuters) - A Eastman Kodak Co registrou uma perda trimestral maior que o esperado e suspendeu seus dividendos enquanto persistir a queda da demanda, tanto corporativa quanto de consumidores, o que levou suas ações a caírem 11 por cento.

A Kodak também cortou o salário de seu diretor-executivo em 15 por cento e anunciou que todos os seus funcionários nos EUA devem tirar férias não pagas de uma semana neste ano. A empresa afirmou que não espera melhoras nos gastos dos consumidores com seus produtos neste trimestre.

A exclusão dos dividendos, que são distribuídos há 60 anos, acontece em uma época em que famílias, com o orçamento apertado, cortam as despesas com eventos "fotográficos", como viagens, e as empresas reduzem gastos com impressão.

Descartando seus dividendos, a Kodak age como uma incubadora de tecnologias, disse Chris Carosa, presidente da gestora de ativos Carosa, Stanton & DePaolo Asset Management, que gerencia um fundo de investimentos que inclui ações da Kodak.

Para ele, a decisão deve eliminar confusão entre os investidores, uma vez que alguns a viam mais como uma fabricante e uma ação valorizada.

"Creio que cortar os dividendos reflete mais o tipo de empresa que a Kodak é hoje," disse. "Ela não é mais o tipo de negócio que era 20 anos atrás. Ao eliminar os dividendos, estão afirmando, 'ou crescemos ou é o nada'. É mais honesto com os investidores."

Nos últimos seis anos, a Kodak vem passando por um processo de mudança de foco de câmeras e fotografia tradicional para sistemas digitais de impressão e tintas fotográficas de longa duração. A empresa diz que precisa de parceiros para continuar desenvolvendo tecnologias de última geração como sensores de imagem e telas super finas OLED.

No primeiro trimestre, a Kodak teve um prejuízo líquido de 353 milhões de dólares, ou 1,32 dólar por ação, em comparação com as perdas de 116 milhões de dólares do mesmo período no ano anterior, ou 40 centavos por ação.