Lucro da Nintendo desaba 42% no trimestre

quinta-feira, 7 de maio de 2009 11:05 BRT
 

Por Kiyoshi Takenaka e Yumi Horie

TÓQUIO/OSAKA (Reuters) - A Nintendo publicou nesta quinta-feira queda de 42 por cento no lucro operacional do trimestre, pressionada pela valorização iene que minimizou o efeito de fortes vendas de jogos. A companhia previu uma queda de lucro superior à esperada para este ano, da ordem de 12 por cento.

Apesar da queda no lucro trimestral, a Nintendo se saiu muito melhor do que boa parte dos demais fabricantes de bens eletrônicos de consumo. A Sony, por exemplo, está seriamente no vermelho, por efeito do iene forte, da demanda magra e dos custos de reestruturação cada vez mais elevados.

A Nintendo, que compete com a Microsoft e a Sony, suportou relativamente bem a crise financeira, porque os consumidores continuam a gastar dinheiro com jogos, considerados uma forma de entretenimento de baixo custo em um momento de contenção de gastos.

A Nintendo antecipa que seu lucro operacional caiará 11,8 por cento, a 490 bilhões de ienes (5 bilhões de dólares) nos 12 meses até março de 2010, devido à força do iene. Isso fica cerca de cinco por cento abaixo da projeção média de 517,4 bilhões de ienes recolhida entre 25 analistas consultados pela Thomson Reuters.

Seria a primeira queda no lucro operacional anual da Nintendo em quatro anos.

Em termos de lucro líquido, a Nintendo previu elevação de 6,5 por cento no resultado deste ano fiscal, para o recorde de 300 bilhões de ienes, o que fica abaixo da média das projeções de mercado, que apontavam para lucro líquido de 325,7 bilhões de ienes.

"É verdade que esses números ficam abaixo das expectativas de mercado. Mas isso não surpreende, porque a empresa sempre costuma apresentar projeções iniciais conservadoras", disse Mitsushige Akino, administrador de fundos na Ichiyoshi Investment Management.

"Isso posto, parece que o período de crescimento acelerado que eles tiveram agora ficou para trás", disse.

O lucro operacional da Nintendo disparou nos três últimos anos, impulsionado pela dupla de sistemas de videogame Wii e DS, cujas vendas superaram por larga margem as dos produtos concorrentes fabricados pela Sony e Microsoft.

 
<p>Presidente da Nintendo, Satoru Iwata, e diretor s&ecirc;nior Shigeru Miyamoto.</p>