Para Vivo, mercado de celular vive "prova de fogo"

sexta-feira, 8 de maio de 2009 11:37 BRT
 

Por Taís Fuoco

SÃO PAULO (Reuters) - A Vivo Participações, maior companhia de celular do Brasil, registrou um lucro líquido de 123,5 milhões de reais no primeiro trimestre do ano, ante um resultado positivo de 97,6 milhões em igual período do ano anterior.

A companhia, controlada pelos grupos Portugal Telecom e Telefónica, sentiu, no entanto, o mercado um pouco mais receoso e passou a administrar estoques e estratégias "no dia-a-dia", segundo Roberto Lima, presidente da operadora.

"Estamos trabalhando em uma conjuntura em que todos os indicadores têm de ser revistos, estamos trabalhando no dia-a-dia", disse Lima, em teleconferência com analistas nesta sexta-feira.

Apesar dos números positivos no balanço, a companhia sentiu uma inibição maior do consumidor em trocar de aparelhos e uma tendência em controlar mais os gastos com as ligações.

Para ele, o mercado vive um momento de "prova de fogo, que vai reafirmar forças e fraquezas".

Lima, no entanto, acredita que a Vivo está "muito mais preparada para enfrentar novos cenários como esse, que não esperávamos", admite.

A companhia decidiu manter estoques mais elevados, inclusive, para poder administrar melhor as mudanças de tendências no consumo. No momento, disse Lima, "as pessoas estão focando mais nos aparelhos de baixo custo".

Na sua avaliação, "manter os estoques mais elevados nesse momento nos parece uma boa política para evitar perda de vendas".   Continuação...

 
<p>Presidente da Vivo, Roberto Lima. A companhia, maior operadora de celular do Brasil, registrou um lucro l&iacute;quido de 123,5 milh&otilde;es de reais no primeiro trimestre do ano, ante um resultado positivo de 97,6 milh&otilde;es em igual per&iacute;odo do ano anterior.</p>