União Europeia julgará Intel como anticompetitiva, dizem fontes

segunda-feira, 11 de maio de 2009 09:43 BRT
 

Por David Lawsky

AMSTERDÃ (Reuters) - As autoridades de defesa da concorrência na União Europeia devem anunciar esta semana conclusão de que a Intel pagou ilegalmente a fabricantes de computadores para que adiassem ou cancelassem o lançamento de produtos contendo chips fabricados por sua principal rival, informaram fontes próximas do caso no domingo.

A Comissão Europeia deve decidir na quarta-feira pela imposição de multa à maior fabricante mundial de chips, e também ordenar mudanças em suas práticas comerciais devido às "restrições abertas" à competição que elas envolvem, dizem as fontes.

Não há indicação quanto ao tamanho da multa a ser aplicada. A maior multa já aplicada pela Comissão por abuso de posição dominante de mercado foram os 497 milhões de euros (655 milhões de dólares) impostos à Microsoft em 24 de março de 2004.

As fontes disseram que a Comissão, sediada em Bruxelas, vai decidir que a Intel cometeu duas violações envolvendo abusos de sua posição no mercado de microprocessadores.

O órgão executivo da União Europeia vai anunciar que a Intel ofereceu pagamentos a fabricantes de computadores para que estes reduzissem ou eliminassem o uso de chips produzidos pela rival AMD, e que a empresa ofereceu outros incentivos ao varejo para que só vendesse máquinas equipadas com seus chips.

Em sua decisão, a Comissão vai ordenar que a Intel suspenda esses pagamentos, que serão declarados ilegais, dentro de um prazo específico, segundo as fontes.

A Comissão anunciará também que a Intel pagou fabricantes de computadores para que adiassem ou abandonassem o lançamento de produtos contendo chips da AMD. A Comissão definirá esses pagamentos como "restrições abertas" à competição, segundo as fontes.

A Comissão vai anunciar ainda que essas violações ocorreram durante um período que se estendeu por pelo menos oito anos, segundo as fontes.

O órgão executivo europeu acusou a Intel de fazer pagamentos ilegais a fabricantes de PCs em 2007, e em julho do ano passado acrescentou a acusação de pagamentos ilegais a grupos de varejo.

 
<p>Logotipo da Intel pelas lentes de participante de confer&ecirc;ncia da empresa em Taiwan. As autoridades de defesa da concorr&ecirc;ncia na Uni&atilde;o Europeia devem anunciar esta semana conclus&atilde;o de que a Intel pagou ilegalmente a fabricantes de computadores para que adiassem ou cancelassem o lan&ccedil;amento de produtos contendo chips fabricados por sua principal rival, informaram fontes pr&oacute;ximas do caso.</p>