Android ganha apoio da indústria de celulares

segunda-feira, 11 de maio de 2009 10:17 BRT
 

Por Tarmo Virki

HELSINQUE (Reuters) - O sistema operacional Android, do Google, está ganhando apoio na indústria de celulares, com 8 milhões de aparelhos Android a serem vendidos em 2009, volume mais de 10 vezes maior frente ao ano passado, informou a empresa de pesquisa do mercado de tecnologia Strategy Analytics, nesta segunda-feira.

Com o mercado geral de aparelhos despencando à medida que a economia desacelera globalmente, a indústria de celulares está focando os investimentos em smartphones mais avançados e softwares.

O Android foi lançado nos Estados Unidos na segunda metade de 2008, e agora todas as principais marcas de aparelhos, exceto a Nokia, afirmam que usarão o sistema do Google.

"O Android agora está em uma boa posição para se tornar um sistema importante no mercado de smartphones nos próximos dois ou três anos", disse Neil Mawston, diretor da Strategy Analytics.

Mawston acrescentou que os fabricantes de smartphones e operadoras, como a T-Mobile e a Vodafone, estão atraídas pelo modelo de custo relativamente baixo do Android, pela estrutura de código-fonte semi-aberto e pelos serviços de suporte do Google.

Apesar do crescimento de 10 vezes em 2009, com 8 milhões de aparelhos a serem vendidos, o Android continuará bem atrás do líder de mercado Symbian, da Research in Motion, da Microsoft e da Apple.

Em média, o mercado de smartphone deve crescer de 10 a 20 por cento neste ano em relação aos 152 milhões de aparelhos comercializados em 2008.

A Nokia utiliza apenas o Symbian em seus smartphones. O sistema também é plataforma principal da Sony Ericsson, que afirmou que também adotará Windows e Android como ofertas complementares.

 
<p>Celular G1, equipado com sistema Android, &eacute; exibido em Taiwan. O sistema operacional do Google est&aacute; ganhando apoio na ind&uacute;stria de celulares, com 8 milh&otilde;es de aparelhos Android a serem vendidos em 2009, volume mais de 10 vezes maior frente ao ano passado, informou a empresa de pesquisa do mercado de tecnologia Strategy Analytics.</p>