May 12, 2009 / 1:36 PM / 8 years ago

Lucro líquido da Telefônica cai para R$482,6 mi no 1o trimestre

3 Min, DE LEITURA

SÃO PAULO (Reuters) - O lucro líquido da Telesp, concessionária do grupo Telefónica no Brasil, alcançou 482,6 milhões de reais no primeiro trimestre, um recuo de 1,2 por cento sobre igual período do ano passado, quando os ganhos foram de 488,7 milhões de reais.

A receita líquida da operadora, que atua na telefonia fixa, banda larga e TV paga, subiu 2,5 por cento, para 3,96 bilhões de reais sobre o mesmo trimestre de 2008, segundo o balanço divulgado nesta terça-feira.

Segundo o demonstrativo, o reajuste tarifário de 3,01 por cento e o crescimento dos serviços de TV paga compensaram a queda nas receitas tradicionais da empresa, como telefonia fixa local e telefonia pública.

A geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, da sigla em inglês) caiu para 1,488 bilhão de reais, retração de 2,8 por cento sobre o resultado do primeiro trimestre do ano passado.

Com isso, a margem Ebitda da companhia também sofreu queda, de 2,1 pontos percentuais, na comparação com um ano antes, atingindo 37,6 por cento das receitas.

De acordo com o balanço, a queda no Ebitda reflete o crescimento da atuação da Telefônica em segmentos com margens menores, como TV paga e banda larga, diante da redução do segmento de telefonia fixa.

O número de clientes de banda larga da operadora, que incluem tanto os assinantes do serviço Speedy como os do serviço Ajato (da TVA, da qual a Telefônica é acionista), atingiu 2,65 milhões de usuários, uma alta de 22,7 por cento sobre igual trimestre de 2008.

A empresa fechou o trimestre com 502,4 mil clientes de TV paga, com salto de 78,4 por cento sobre os três primeiros meses do ano passado.

Já o número de linhas de telefonia fixa em serviço teve uma queda de 2,9 por cento, para 11,58 milhões de assinantes.

Apesar da receita ter subido 2,5 por cento, os gastos operacionais da Telefônica tiveram alta de 6 por cento, para 2,47 bilhões de reais, na comparação com o mesmo trimestre de 2008. O aumento nos gastos ocorreu apesar das quedas nas linhas de despesas com pessoal (queda de 18 por cento) e de materiais (recuo de 20,8 por cento).

A dívida total da companhia ao final de março era de 3,47 bilhões de reais, dos quais a maior parte --3,21 bilhões de reais-- vence no longo prazo. Em março de 2008, a dívida era de 2,82 bilhões de reais.

Reportagem de Taís Fuoco, Edição de Alberto Alerigi Jr.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below