Hitachi prevê quarto ano de prejuízo; NEC prevê lucro

terça-feira, 12 de maio de 2009 11:30 BRT
 

Por Sachi Izumi

TÓQUIO (Reuters) - A Hitachi, maior fabricante de eletrônicos do Japão, projetou prejuízo bem maior que o esperado, no que será o quarto ano da companhia no vermelho em um momento em que sofre queda na demanda dos setores de chips, veículos e de eletrônica.

A NEC, uma rival de menor porte, em contraste, previu que sairá do prejuízo neste ano fiscal, apesar das projeções de prejuízos dos analistas, afirmando que o objetivo é erradicar os negócios deficitários como parte de um corte de custos de 2,8 bilhões de dólares.

A desaceleração na economia mundial prejudicou muitos dos negócios dessas empresas, e a demanda fraca atingiu de forma especialmente severa o setor automotivo e o de eletrônica. Isso forçou a Hitachi a sofrer o maior prejuízo anual já registrado por uma empresa do setor industrial do Japão, no ano fiscal recentemente encerrado.

Quedas nos preços e demanda lenta também prejudicaram as divisões de chips das empresas, e a unidade de chips da NEC, a NEC Electronics, e a Renesas Technology, uma joint venture de chips da Hitachi, começaram a discutir a possibilidade de uma fusão para sobreviverem à crise.

A Hitachi planeja reduzir em 5 bilhões de dólares seus custos físicos e de insumos, este ano, e transferir recursos ao setor de infraestrutura, enquanto abandona operações deficitárias. A companhia também promoveu um veterano da área de energia do grupo ao posto de presidente-executivo, em abril.

Mas Yuichi Ishida, analista da Mizuho Investor Securities, afirma que não está claro que operação da Hitachi se provará capaz de reverter o quadro.

"A estratégia básica da Hitachi deveria ser a de tentar aproveitar a expansão mundial dos investimentos em sistemas de tecnologia da informação, ferroviários e outras formas de infraestrutura social, para promover uma recuperação de seu lucro", diz Ishida.

"Mas dadas as perspectivas incertas que a economia mundial apresenta atualmente, é difícil obter uma imagem clara de como a empresa será capaz de retornar a uma fase de crescimento", acrescentou.