Panasonic sofre prejuízo recorde no 4o trimestre

sexta-feira, 15 de maio de 2009 10:33 BRT
 

Por Kiyoshi Takenaka e Taiga Uranaka

TÓQUIO (Reuters) - O grupo de eletrônica japonês Panasonic previu prejuízo anual superior ao esperado, depois de um trimestre de prejuízo recorde, por efeito da demanda fraca, das quedas de preços e de custos elevados de reestruturação.

A empresa, que disputa com a Sony o título de maior fabricante mundial de bens eletrônicos de consumo, viu uma deterioração em seus lucros, enquanto a crise econômica levou os consumidores a reduzir gastos com televisores de telas planas e câmeras digitais.

Como muitas outras companhias japonesas, a Panasonic sofreu percalços adicionais devido à força do iene, que torna seus produtos menos competitivos no exterior em termos de preços.

O plano da Panasonic é fechar 40 de seus centros de produção nos dois anos até março de 2010, e cortar 15 mil funcionários como parte de medidas de redução de custos.

Embora a Panasonic espere que seu principal negócio, a produção de televisores, continue no vermelho este ano, previu um crescimento geral de cerca de três por cento para o lucro operacional.

"Comparada com a Sony e outros rivais, a Panasonic tem um bom histórico em termos de reencontrar a lucratividade por meio de reestruturações", disse Takeshi Osawa, administrador sênior de fundos na Norinchukin Zenkyoren Asset Management. "Tenho mais fé na capacidade da Panasonic de se recuperar do que na de outras empresas", acrescentou.

A maior fabricante mundial de televisores de plasma, acima da Samsung Electronics, antecipa prejuízo líquido de 195 bilhões de ienes (2 bilhões de dólares) para o ano fiscal que se encerra em março.

Isso superar em 86 por cento o consenso entre 17 analistas pesquisados pela Thomson Reuters, mas equivale à metade dos 378,96 bilhões de ienes de prejuízo no ano fiscal anterior.

A empresa informou que calcula que seus custos de reestruturação devem ficar em 88 bilhões de ienes este ano, depois de reservar 367,4 bilhões de ienes para o mesmo fim no ano fiscal recentemente encerrado.

 
<p>Presidente da Panasonic, Fumio Ohtsubo, concede entrevista em T&oacute;quio. O grupo de eletr&ocirc;nica japon&ecirc;s previu preju&iacute;zo anual superior ao esperado, depois de um trimestre de preju&iacute;zo recorde, por efeito da demanda fraca, das quedas de pre&ccedil;os e de custos elevados de reestrutura&ccedil;&atilde;o.</p>