Sony cortará pela metade fornecedores,reduzirá custos de compras

quinta-feira, 21 de maio de 2009 09:14 BRT
 

TÓQUIO (Reuters) - A Sony cortará pela metade o número de fornecedores nos próximos dois anos e pretende reduzir os custos de compras em 20 por cento neste ano, intensificando os esforços de reestruturação em meio a prejuízos crescentes.

Analistas consideraram a medida positiva. A iniciativa faz parte de um plano para cortar custos fixos em mais 300 bilhões ienes (3,16 bilhões de dólares).

Mas as ações da Sony recuaram mais de 1 por cento junto com a de outros exportadores, abatidas pela firmeza do iene.

A Sony, que compete com a Samsung Electronics em televisores de tela plana e com a Canon em câmeras digitais, tem revisado as operações à medida que prevê um segundo ano consecutivo de perdas devido à fraca demanda global por produtos eletrônicos.

A valorização do iene está impondo pressão adicional às companhias japonesas, porque reduz a competitividade das exportações.

"Eu não estou certo sobre o quão efetivo é a medida porque não implica simplesmente em incentivo ao lucro ou que dará frutos imediatamente", disse Nobuo Kurahashi, analista da Mizuho Investors Securities.

"Mas é muito bom estarmos vendo mais e mais medidas concretas de reestruturação em ritmo rápido."

A porta-voz da Sony, Mami Imada, acrescentou que a companhia planeja diminuir seus fornecedores para cerca de 1.200, contra 2.500 atualmente, até março de 2011. Além disso, cortará as despesas elevando o volume de dispositivos e insumos comprados de cada fornecedor. Os atuais custos de compra da companhia totalizam quase 2,5 trilhões de ienes.

A consolidação da cadeia de fornecedores incluirá a subsidiária de videogames Sony Computer Entertainment, que desfrutava de liberdade considerável na compra de componentes.

A Sony previu prejuízo operacional de 110 bilhões de ienes até março do ano que vem, após ter registrado perdas de 227,8 bilhões de ienes no último ano financeiro.