Capcom quer lançar mais games para o iPhone

quinta-feira, 21 de maio de 2009 12:55 BRT
 

TÓQUIO (Reuters) - A produtora japonesa de videogames Capcom anunciou planos para lançar mais de 10 títulos para o popular iPhone, da Apple, durante o ano fiscal que se encerra em março, para aproveitar a demanda crescente por jogos de celular.

A empresa, que produz "Monster Hunter" e "Street Fighter", no começo deste mês lançou "Resident Evil: Degeneration", um jogo de ação e horror para o iPhone e o iPod Touch, seu primeiro título dirigido a aparelhos da Apple.

Falando no Reuters Global Technology Summit, em Tóquio, Kazuhiko Abe, vice-presidente de finanças da Capcom, disse que as vendas de "Resident Evil 5", um jogo de horror e sobrevivência, estão a ponto de atingir o milhão de unidades no atual ano fiscal, o que supera a projeção de 800 mil unidades da própria empresa.

O "Resident Evil 5", desenvolvido para o Xbox 360, da Microsoft e para o PlayStation 3, da Sony, chegou às lojas em março e a Capcom vendeu 4,4 milhões de unidades do título antes do final daquele mês.

"Continuamos a desfrutar de uma forte demanda", disse Abe nesta quinta-feira. "Apenas em abril, as vendas chegaram a 570 mil unidades".

A Capcom anunciou alta de 11 por cento em seu lucro operacional para o ano fiscal encerrado em 31 de março, devido às vendas vigorosas do "Resident Evil 5" e do "Street Fighter IV".

Para o atual ano fiscal, que se encerra em março de 2010, a empresa previu alta de 6 por cento em seu lucro operacional, para o recorde de 15,5 bilhões de ienes (164 milhões de dólares).

Abe disse que a empresa quer estimular suas vendas internacionais por meio de títulos que atendam aos mercados norte-americanos e europeus em expansão, mas que não tem planos para aquisições.

Buscar crescimento no exterior é importante para os produtores japoneses de videogames porque o mercado para seus produtos está encolhendo no país de origem.

A Square Enix Holdings, criadora de jogos de fantasia como "Dragon Quest" e "Final Fantasy", que alguns meses atrás adquiriu a produtora britânica Eidos, disse que tampouco estaria considerando novas aquisições por enquanto.

(Reportagem de Kiyoshi Takenaka e Reiji Murai)