Estrela do YouTube que testemunhou tiroteio confessa ter mentido

segunda-feira, 25 de maio de 2009 13:07 BRT
 

CAMBERRA (Reuters) - O relato de uma mulher australiana sobre um tiroteio noturno em Sidnei fez dela uma sensação na Internet, e inspirou camisetas, canecas de café e um remix dançante usando sua imagem, mas há um pequeno problema: ela inventou tudo.

O dramático relato oferecido por Clare Werbeloff sobre um tiroteio, que incluía imitação de ruído de armas e dos homens envolvidos, fez dela uma estrela instantânea no site de vídeo YouTube, atraindo cerca de 500 mil visitantes.

Werbeloff, de 19 anos, recebeu convites para participar de diversos programas de TV e até mesmo para posar em biquíni para fotos.

Mas a mídia australiana passou vergonha quando a primeira tarefa de Adam Abrams, que acaba de ser contratado por Werbeloff como seu agente, foi a de admitir que sua cliente não havia realmente testemunhado o tiroteio, e informar à polícia que ela havia inventado a história de improviso ao ser entrevistada por uma emissora de TV.

Abrams informou à mídia australiana que Werbeloff preferia não revelar seus motivos para inventar a história, mas negou que o vídeo representasse uma forma de obter publicidade. Werbeloff teve de se esconder dos jornalistas que estavam à sua espera diante de sua casa.

Justin Kallu, de 27 anos, a vítima do ataque a tiros, está cuidando do joelho ferido no ataque e não gostou da brincadeira.

"Estou um tanto irritado por ter sido atacado a tiros e quase perdido minha vida, e aí surge essa garota no noticiário, ganhando toda essa popularidade simplesmente por não ter cérebro", afirmou Kallu em resposta por email a jornais.

(Reportagem de Rob Taylor)