AMD e Intel brigam no mercado de servidores como jogo de tênis

terça-feira, 2 de junho de 2009 11:51 BRT
 

Por Clare Baldwin

SAN FRANCISCO (Reuters) - A batalha entre a Intel e a AMD por participação no mercado de servidores se aqueceu na segunda-feira com o lançamento pela AMD de um processador de seis núcleos para servidores da família Opteron, que leva o codinome "Istanbul".

Mas a comemoração da AMD pode durar pouco: a Intel deve lançar seu Nehalem EX, um chip de oito núcleos, no primeiro trimestre de 2010.

Analistas dizem que essa troca de lances pouco fará no curto prazo para afetar a fatia de mercado da dupla.

A AMD, que conquistou mercado no segmento de servidores ao lançar a família Opteron de processadores, seis anos atrás, vem enfrentando dificuldades para manter a vantagem desde que a concorrente, uma empresa muito maior, lançou seu processador de 64 bits, em 2004.

"O Istanbul permitirá que a AMD recupere o atraso e se aproxime bastante, mas não creio que permitirá que supere a Intel", disse David Kanter, analista da Real World Technologies.

É difícil derrotar a Intel em termos de parâmetros de desempenho. A companhia desenvolveu uma técnica que permite que cada núcleo trabalhe com múltiplas instruções simultaneamente, algo que a AMD ainda não fez e que alega nem sempre ser muito útil, acrescentou Kanter.

Nos últimos anos, Intel e AMD tiveram diversos choques quanto a desempenho e preço. Comprimir muitos "núcleos", ou processadores, em um único microprocessador tornou-se uma das maneiras de melhorar o desempenho de referência.

A Intel hoje fornece cerca de 89 por cento dos chips ditos x86 usados em servidores de todo o mundo, enquanto a AMD fornece os 11 por cento restantes, de acordo com Shane Rau, analista da IDC.

A Intel dominava o mercado de chips para servidores com participação de mais de 95 por cento no começo da década, disse Rau. Mas a AMD ganhou impulso ao lançar o Opteron e atingiu sua maior participação, pouco abaixo dos 26 por cento, no segundo trimestre de 2006.

Essa fatia caiu à metade um ano depois, quando a Intel adotou a arquitetura Core. As perdas foram agravadas devido ao atraso do lançamento do chip AMD Barcelona, em 2008, acrescentou Rau.