No Twitter, poucos usuários dão a maior parte dos pios

sexta-feira, 5 de junho de 2009 11:38 BRT
 

Por Erin Kutz

BOSTON (Reuters) - Uma pequena fração dos usuários do fenômeno das redes sociais, o Twitter, gera quase todo o conteúdo do serviço, que registra rápido crescimento. Isso torna difícil para as empresas usar o site de microblogs como um indicador acurado da opinião pública, aponta estudo da Harvard Business School.

O Twitter é um site de redes sociais no qual os usuários publicam mensagens com até 140 caracteres (conhecidas como "tweets", pios em português) que podem ser acompanhadas por outros usuários.

O estudo da Harvard analisou as mensagens de um grupo aleatoriamente selecionado de 300 mil usuários do Twitter. Os pesquisadores estudaram em maio o conteúdo gerado durante todo o período de uso do site pelos usuários.

O resultado indica que 10 por cento dos usuários do Twitter respondem por mais de 90 por cento do conteúdo, de acordo com Mikolaj Jan Piskorski, diretor da pesquisa. Mais de metade dos usuários do Twitter enviam mensagens no site menos de uma vez a cada 74 dias.

O número médio de "tweets" por usuário é de apenas um, de acordo com a pesquisa.

As empresas estão recorrendo cada vez mais ao Twitter como forma de melhorar sua compreensão quanto ao modo pelo qual os consumidores as veem, disse ele. Mas alguns usuários são muito mais ativos e falantes do que outros, o que limita a informação que pode ser extraída de mensagens no site, disse Piskorski, professor assistente de estratégia da escola de negócios.

"Se você está tentando obter uma representação estatística aceitável quanto ao que a média do público está pensando, o melhor é evitar o Twitter", disse ele.

Piskorski disse que o Twitter pode continuar a ser útil na resposta a preocupações específicas dos consumidores. Também pode permitir marketing efetivo, já que empresas com contas no Twitter podem anunciar liquidações e ofertas aos usuários que as acompanham no site.