Acordo entre NSN e Nortel pode ter chegado tarde demais

segunda-feira, 22 de junho de 2009 11:31 BRT
 

Por Tarmo Virki

HELSINQUE (Reuters) - A aquisição pela Nokia Siemens Network de alguns dos ativos importantes da Nortel Networks provavelmente não servirá para mudar o jogo no competitivo mercado de equipamentos para operadoras de telefonia, mesmo que venha a melhorar os resultados e a participação de mercado da NSN.

Na sexta-feira, a concordatária Nortel e a Nokia Siemens

anunciaram acordo de 650 milhões de dólares, que inclui a segunda posição mundial da Nortel na tecnologia CDMA e seus ativos na tecnologia LTE, que está chegando ao mercado.

A aquisição conduzirá a Nokia Siemens ao segundo posto no mercado de CDMA, no qual ela desafiará a posição da líder de mercado, a Alcatel-Lucent.

Mas a transação acarreta o risco de distrair a direção da empresa em um momento no qual as operações de equipamentos para redes da Nokia e da Siemens estavam começando a se assentar, depois da fusão.

A Nokia Siemens quer se beneficiar diretamente da exposição da Nortel no mercado norte-americano de telefonia CDMA, um sistema que perdeu a batalha pelo domínio mundial da telefonia móvel, mas continua a ter posição forte na América do Norte.

Os analistas antecipam que os investimentos em redes CDMA continuem, ainda que em ritmo razoavelmente mais lento devido à desaceleração econômica, mas as operadoras de telefonia móvel que trabalham em padrão CDMA devem reformular suas redes nos próximos anos -e muitas delas planejam utilizar a nova tecnologia LTE, de alta velocidade.

O sistema LTE deve começar a ser utilizado nos próximos anos por grandes empresas de telecomunicações, como a Vodafone e a Verizon Wireless.

Os analistas afirmam que o acordo vai beneficiar a situação financeira da NSN, mas que pode ter chegado tarde demais para fazer grande diferença.

"A aquisição dos negócios de infraestrutura da Nortel faz sentido financeiro, mas os motivos estratégicos para comprar os negócios de CDMA e LTE já se tornaram coisa do passado", afirmou Richard Windsor, especialista em tecnologia da Nomura, em nota de pesquisa.