Corte sueca diz que juiz do caso Pirate Bay não foi tendencioso

quinta-feira, 25 de junho de 2009 11:37 BRT
 

ESTOCOLMO (Reuters) - O juiz que sentenciou quatro homens à prisão por conduzirem o Pirate Bay, um dos maiores sites do mundo de compartilhamento de arquivos, não foi tendencioso, determinou uma corte sueca de apelação, nesta quinta-feira.

Advogados dos acusados pediram um novo julgamento, argumentando que o juiz Tomas Norstrom pode ter sido tendencioso por ser membro de vários grupos de proteção dos direitos autorais.

"A corte chegou à conclusão de que nenhuma dessas circunstâncias, nem sozinhas nem juntas, implicam em dúvida sobre se o juiz foi objetivo", declarou a corte em um comunicado.

Os quatro homens por trás do site --Carl Lundstrom, Peter Sunde, Gottfrid Svartholm Warg e Fredrik Neij-- foram sentenciados em abril a um ano de prisão por quebrarem direitos autorais e foram ordenados a pagar 3,6 milhões de dólares em indenização.

Empresas de música e filmes, incluindo Warner Bros., MGM, Columbia Pictures, 20th Century Fox Films, Sony BMG, Universal e EMI, solicitaram indenizações de mais de 100 milhões de coroas suecas (12,6 milhões de dólares) para compensar pela perda das receitas.

 
<p>Juiz Tomas Norstrom participa de entrevista coletiva ap&oacute;s julgamento do caso Pirate Bay em Estocolmo.</p>