Festa comemora adiamento do filtro de Internet chinês

quarta-feira, 1 de julho de 2009 18:33 BRT
 

Por Emma Graham-Harrison

PEQUIM (Reuters) - Internautas chineses lotaram um bar da moda em Pequim na quarta-feira para celebrar a suspensão, no último minuto, da adoção de um software de filtragem imposto pelo governo e defender a liberdade de expressão no país gerido pelos comunistas.

Vestindo camisetas que zombavam do programa "Green Dam", cerca de 200 moradores de Pequim haviam chegado ao bar, pela metade da manhã, para comer um desjejum chinês tradicional, denunciar a censura e preparar uma festa que se estenderia pelo resto do dia.

Originalmente concebida como um boicote à Internet que marcaria o lançamento do filtro, em 1o de julho, e como forma de dar a uma geração viciada em Internet algo que fazer durante as 24 horas que passariam offline, a atmosfera do evento era festiva, e os convidados comemoravam o que muitos viam como vitória inesperada contra a censura estatal.

"Trata-se de um raro exemplo de adiamento de uma decisão importante do governo na noite anterior à data em que entraria em vigor", disse Ai Weiwei, o artista que organizou o boicote e a festa.

Pequim reverteu surpreendentemente a sua decisão, na terça-feira, horas antes da entrada em vigor de uma norma que forçaria todos os computadores novos vendidos no país a trazerem instalado o programa de filtragem.

O Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação anunciou que a adoção da regra seria adiada e não comunicou nova data.

Funcionários do governo chinês informaram que o objetivo do software seria combater a pornografia na Internet. Mas ele foi criticado por ativistas, organizações setoriais e autoridades estrangeiras por ser politicamente intrusivo, tecnicamente deficiente e comercialmente injusto.

"Estamos muito satisfeitos porque conseguimos o que queríamos", disse o artista Liu Yaohua, 27.

 
<p>Manifestantes usaram camisetas com o slogan "Green Dam - Dane-se" em protesto contra o filtro em Pequim REUTERS/David Gray</p>