COLUNA-CompuServe morreu, mas continua viva em toda parte

terça-feira, 7 de julho de 2009 17:40 BRT
 

--Erich Auchard é um colunista da Reuters. As opiniões expressas são de sua responsabilidade.

Por Eric Auchard

LONDRES (Reuters) - A CompuServe, pioneira entre os serviços online, enfim fechou as portas este mês, 15 anos depois que o mundo mais amplo da Web sobrepujou suas pitorescas comunidades e shopping centers virtuais.

Mas as muitas inovações a que ela deu origem desde que foi criada, 30 anos atrás, permanecem, em empresas que variam da Amazon.com ao Google e Facebook, e no e-mail, salas de chat, videogames para múltiplos jogadores e serviços bancários e de viagens online.

A invenção da Web, no começo dos anos 1990, e aquilo que se seguiu só parecem revolucionários a quem não conhece os desdobramentos pioneiros apresentados por serviços online comerciais como a CompuServe e o francês Minitel, um serviço de videotexto que havia servido de inspiração ao grupo norte-americano.

A CompuServe era tanto um clube dos corações solitários para os primeiros usuários de serviços online quanto uma incubadora de comércio online mais de uma década antes que a Web fosse inventada.

Em 1983, a CompuServe veiculou uma campanha publicitária para um primitivo chat via e-mail que permitia que os usuários "falassem com amigos e influenciassem pessoas em 72 canais". O serviço popularizou o uso de pseudônimos entre os usuários, como por exemplo "Data Hari," para o operador de uma espécie de clube remoto de encontros.

"Escolha o apelido e entre online. De matemática a matrimônio, sempre vai haver alguém que fala sua língua", afirmava a empresa em sua promoção em mídia impressa.

E anos antes que Mark Zuckerberg, o fundador do Facebook, tivesse nascido, a CompuServe desenvolveu a ideia de criar aplicativos para seus serviços que atrairiam a lealdade dos consumidores, um dos segredos do sucesso posterior do Facebook. Os serviços variavam de notícias, esportes e meteorologia a reserva de passagens aéreas e informações sobre cotações de ações.   Continuação...