Sony descarta corte no preço do PlayStation 3

quarta-feira, 8 de julho de 2009 11:59 BRT
 

Por Alexei Oreskovic

SUN VALLEY, Estados Unidos, 8 de julho - O presidente-executivo da Sony, Howard Stringer, minimizou preocupações sobre o preço alto do PlayStation 3 e afirmou que a companhia não deverá vender partes de seus negócios por causa da crise econômica.

Stringer, presente em uma conferência de mídia, classificou comentários recentes sobre o preço do PlayStation, feitos por Robert Kotick, presidente-executivo da produtora Activision Blizzard, como tática comum de negócios.

"Ele gosta de fazer muito barulho", disse o executivo da Sony ao ser questionado sobre os comentários de Kotick. "Ele está me pressionando e eu o estou pressionando. Essa é a natureza dos negócios."

No mês passado, Kotick afirmou ao Times of London que a Activision pode parar de desenvolver jogos para o PlayStation se a Sony não reduzisse o preço do console, que compete com o Xbox, da Microsoft, e o Wii, da Nintendo.

"Quando olhamos para 2010 e 2011, nós poderemos considerar se vamos continuar apoiando o console", disse o presidente-executivo da Activision.

Questionado sobre a razão para a Sony não reduzir seus preços, Stringer afirmou: "Eu perderia dinheiro em cada PlayStation que fabrico, o que você acha disso?"

Nos EUA, o PS3 de 80 gigabytes é vendido por 399 dólares, enquanto o Xbox 360 tem versões a partir de 199 dólares e o Wii a partir de 249 dólares.

Sobre a consolidação na indústria de entretenimento, ele disse que a Sony não está buscando se livrar de quaisquer ativos.

"Nós estamos aprendendo a fundir conteúdo com hardware. Este não seria um momento para se desfazer de um ou de outro", acrescentou ele.

Para o executivo, ainda é muito cedo para dizer que a recessão acabou. Mas ele afirmou que a situação econômica na maior parte da Ásia parece melhor e que vê recuperação na China.

 
<p>Visitantes do estande da Sony na E3 jogam PlayStation 3. O presidente-executivo da companhia, Howard Stringer, minimizou preocupa&ccedil;&otilde;es sobre o pre&ccedil;o alto do console e afirmou que a companhia n&atilde;o dever&aacute; vender partes de seus neg&oacute;cios por causa da crise econ&ocirc;mica.</p>