Um novo ícone como Michael Jackson pode surgir na era da Web?

quarta-feira, 8 de julho de 2009 14:57 BRT
 

Por Michelle Nichols

NOVA YORK (Reuters) - O extravagante luto gerado pela morte de Michael Jackson levou alguns críticos a imaginar se um estrelato da mesma magnitude poderá surgir na era da Internet, quando as opções de entretenimento são infinitas.

A morte súbita de Jackson, em 25 de junho, causou grandes demonstrações públicas de pesar pelo cantor, cujo álbum "Thriller", de 1982, é o mais vendido de todos os tempos, com vendas estimadas em 50 milhões de cópias. Na morte, os escândalos pessoais de Jackson deixaram de parecer tão importantes para os fãs e as pessoas que se deixaram apanhar pela emoção do momento.

"No mundo do YouTube, ninguém poderia reproduzir o efeito mundial de 'Thriller', de Michael Jackson", disse Jonathan Taplin, professor da Universidade Southern California. "Em 1983, eu estava pesquisando locações para um filme da Disney no Gabão e no Congo, e só se ouvia Michael Jackson no rádio", disse Taplin, que foi produtor de cinema e TV.

A Internet uniu o mundo de maneiras novas e pode transformar desconhecidos em astros em um momento, como ilustra o episódio de Susan Boyle, uma cantora britânica desajeitada que disparou da obscuridade à fama internacional quando sua apresentação em um programa britânico de talentos foi publicada no YouTube.

Mas esse tipo de fama é passageiro, e as sensações da Internet tendem a ser substituídas rapidamente. "Haverá milhares de Susan Boyles, mas não teremos novos Michael Jackson ou Beatles", disse Taplin.

Antes da ascensão da TV a cabo e da Internet, dezenas de milhões de pessoas assistiam aos mesmos programas de grandes sucesso musicais na TV, ao mesmo tempo. Agora, a Internet inundou o mundo de opções e diluiu as audiências.

Apelidado de "o rei do pop", Jackson, 50, cantou com seus irmãos no conjunto "Jackson 5" antes de conquistar o estrelato solo com sucessos como "Billie Jean" e "Beat It", que ele promoveu por meio de videoclipes que romperam fronteiras, veiculados inicialmente pela rede musical de TV a cabo MTV.

Mas a MTV já não transmite horas de música no horário nobre e a Internet permite que qualquer um publique canções e vídeos. Para David Segal, do New York Times, isso provavelmente representa o fim da fama em nível semelhante ao conquistado por Jackson.

"É por isso que até Michael Jackson teria dificuldade para se tornar Michael Jackson hoje em dia", escreveu ele.

 
<p>Irm&atilde;o de Michael Jackson Jermaine Jackson fala durante funeral do astro no Staples Center, em Los Angeles. O extravagante luto gerado pela morte do cantor levou alguns cr&iacute;ticos a imaginar se um estrelato da mesma magnitude poder&aacute; surgir na era da Internet, quando as op&ccedil;&otilde;es de entretenimento s&atilde;o infinitas.</p>