10 de Julho de 2009 / às 19:22 / 8 anos atrás

Empresas de mídia investem em conteúdo para celulares

Por Alexei Oreskovic

SUN VALLEY, EUA (Reuters) - A tradicional indústria da mídia pode estar sob pressão com a queda nos gastos com publicidade gerada pela economia fraca, mas empresas e investidores estão lutando para conseguir espaço no emergente setor de conteúdo para celulares.

Conglomerados de mídia, fabricantes de aparelhos e operadoras de telefonia móvel estão de olho no crescente mercado de mídia para aparelhos celulares, impulsionado por smartphones como o iPhone, da Apple, e o BlackBerry, da Research In Motion (RIM).

Novas empresas de sucesso com boas referências no mercado de telefonia celular, como o site de microblogs Twitter, têm se tornado cada vez mais alvo de boatos sobres aquisições.

Mas o fato de seus modelos de negócios ainda não serem comprovados significa ser improvável que um acordo seja fechado já nesta semana, durante o encontro de mídia e tecnologia em Sun Valley, nos EUA, organizado pela Allen & Co.

Bob Davis, sócio e especialista em mídias digitais da empresa de investimentos Highland Capital Partners, disse que as companhias de mídia tradicionais terão que comprar novas empresas para ganhar experiência no mercado móvel que precisam.

“Não creio que tenham o DNA para desenvolver aplicativos de vanguarda em tecnologia. Eles irão observar o amadurecimento do mercado e comprarão os ganhadores”, disse Davis, acrescentando que os acordos irão demorar a chegar devido ao ritmo fraco da economia e aos problemas no mercado de crédito.

Mas há sinais de que os acordos no mercado móvel estão ganhando força. Fusões e aquisições envolvendo conteúdo de mídia para celulares e tecnologia saltaram 46 por cento na primeira metade de 2009 em comparação com o ano passado, totalizando 16 acordos, segundo o Jordan Edmiston Group.

Por outro lado, as fusões e aquisições no mercado mais amplo de mídia, informação, marketing e setores de tecnologia relacionados caíram 30 por cento.

A Amazon.com e a IAC/InterActiveCorp, por exemplo, ambas adquiriram este ano empresas que desenvolviam aplicativos para o iPhone e, em junho, a Amazon.com comprou o serviço de publicidade para celulares SnapTell.

“Uma que provavelmente está mais bem posicionada nessa história é o Google”, disse o vice-presidente de pesquisas dos setor de telecomunicações da The Nielsen, Roger Entner.

Devido à capacidade comprovada da Google de gerar lucros através de publicidade com a Internet em computadores, Entner vê uma boa chance de a empresa se tornar uma marca de sucesso no setor de telefonia móvel.

Operadoras de telefonia celular também vêem uma boa chance de terem um papel maior no setor. A aquisição do serviço de Wi-Fi Wayport pela AT&T em 2008 é um bom exemplo de uma operadora tentando entrar no mercado de conteúdo para celulares.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below