Power.com processa Facebook por dados de usuários

sexta-feira, 10 de julho de 2009 17:37 BRT
 

Por Gina Keating

LOS ANGELES (Reuters) - O agregador de redes sociais Power.com abriu um processo nesta sexta-feira contra o Facebook em um tribunal na Califórnia para resolver a questão de quem é de fato dono das informações das redes sociais-- os usuários ou os sites.

A Power.com afirma que são os usuários, e planeja defender isso no processo para assegurar que os internautas tenham o controle e a propriedade "total e completa" sobre seu conteúdo, e o direito de proteger esse conteúdo de outros usuários e de corporações.

A ação judicial, que acusa o Facebook de concorrência desleal, de restrição ao comércio e de criar um monopólio, foi apresentada cerca de seis meses após o Facebook ter processado a Power.com de violação de copyright e de marca registrada, de concorrência ilegal e de fraude.

A Power.com negou as alegações, e pediu que o Facebook seja proibido permanentemente de executar "práticas anticompetitivas". Também solicitou um valor não-revelado em indenização e ajuda de custo.

O Facebook afirmou em comunicado que fez "inúmeras tentativas" de negociar com a Power.com antes de abrir a ação contra o site, "mas ... eles continuaram a colocar os dados de usuários do Facebook em risco".

Segundo comunicado do Facebook, as alegações da ação judicial da Power.com são "sem mérito, e lutaremos agressivamente contra elas".

A tecnologia da Power.com permite que usuários tenham acesso a diversas contas em redes sociais diferentes através de um mesmo portal na Internet e que editem ferramentas e dados nessas contas.

Em seu processo, a Power.com afirma também que "acredita em uma Internet sem fronteiras, onde usuários têm controle sobre seus próprios dados".   Continuação...