Grandes produtoras de jogos reagem a iniciantes do iPhone

quarta-feira, 15 de julho de 2009 11:08 BRT
 

SAN FRANCISCO, Estados Unidos (Reuters) - À medida que o iPhone se torna um aparelho popular para jogos, grandes produtoras de videogames estão ampliando a competição com empresas menores que encontraram sucesso inicial no celular da Apple.

Com marcas conhecidas e bons recursos financeiros, produtoras como Electronic Arts, Gameloft e Glu Mobile desfrutam de grandes vantagens. Mas as empresas ascendentes, tais como ngmoco, Digital Chocolate e Tapulous, se provaram competentes em desenvolver suas marcas, até o momento.

A App Store, da Apple, oferece cerca de 13 mil jogos --muitos criados por pequenas produtoras, e conquistar a atenção dos consumidores é um desafio. Os rankings de download são essenciais para o sucesso, já que os usuários tendem a procurar jogos nas listas dos mais populares.

"Ainda que os principais jogos para o iPhone sejam hoje trabalho de produtoras independentes, as grandes companhias vão contra-atacar", disse Jeremy Liew, diretor executivo da Lightspeed Venture Partners, uma empresa de investimentos que injetou recursos em produtoras de jogos sociais.

"O iPhone só oferece uma maneira dos jogos serem descobertos, hoje, e isso favorece as grandes produtoras, dotadas de mais recursos", acrescentou.

As grandes produtoras "dispõem de verbas consideráveis de marketing... No minuto em que um aplicativo começa a cair no ranking, elas investem em publicidade para levá-lo a subir de novo", disse Krishna Subramanian, co-fundador da Mobclix, uma empresa de análise.

Em contraste, as produtoras menores tendem a oferecer mais jogos gratuitos ou por 99 centavos de dólar, a fim de ajudar a elevar o número de downloads.

Desde o seu lançamento, um ano atrás, a App Store deu origem a todo um novo setor de criadores de software. Histórias sobre empresários que enriqueceram com um aplicativo para o iPhone, trabalhando em suas garagens, reforçaram a lenda.

E ainda há recursos de investimento disponíveis, especialmente junto ao iFund, de 100 milhões de dólares, estabelecido pela Kleiner Perkins Caufield & Byers. O fundo de capital investiu em criadoras de aplicativos como a ngmoco.

 
<p>Usu&aacute;ria testa iPhone 3GS em loja da Apple em San Francisco. &Agrave; medida que o iPhone se torna um aparelho popular para jogos, grandes produtoras de videogames est&atilde;o ampliando a competi&ccedil;&atilde;o com empresas menores que encontraram sucesso inicial no celular da Apple.</p>