Ericsson começa a sentir efeitos da crise econômica

sexta-feira, 24 de julho de 2009 11:59 BRT
 

Por Niklas Pollard e Helena Soderpalm

ESTOCOLMO, 24 de julho (Reuters) - A Ericsson, maior fornecedora de equipamentos para redes celulares do mundo, informou nesta sexta-feira que o declínio econômico agora está mais evidente, o que ofuscou um aumento acentuado no lucro trimestral da companhia, derrubando suas ações.

A Ericsson basicamente tem saído ilesa das turbulências econômicas, protegida por vendas fortes na China e pela firmeza de negócios com serviços, enquanto amplia sua fatia no mercado celular.

Mas o presidente-executivo da companhia, Carl-Henric Svanberg, afirmou que os efeitos da crise financeira agora estão sendo sentidos, especialmente nos mercados emergentes.

"A fraca economia que temos agora continuará nos próximos trimestres de qualquer maneira, então estamos vivendo em um ambiente mais difícil", disse o executivo em coletiva. "Eu não acho que podemos dar mais nenhuma indicação se será um pouco melhor ou um pouco pior. É um ambiente de incerteza."

O vice-presidente de finanças, Hans Vestberg, que assumirá o comando depois que Svanberg passar para a BP, também disse a analistas que as operadoras estão otimizando os fluxos de caixa.

A Vodafone, maior operadora celular do mundo, informou nesta sexta-feira que seu resultado neste ano será de estável a baixo. Já a nórdica TeliaSonera afirmou que está focada na redução de despesas.

O lucro operacional da Ericsson subiu 47 por cento no segundo trimestre, para 6,9 bilhões de coroas suecas (914 milhões de dólares), sem considerar encargos de reestruturação e joint-ventures deficitárias.

As vendas da companhia cresceram 7,4 por cento, totalizando 52,1 bilhões de coroas suecas.   Continuação...

 
<p>"&Eacute; um ambiente de incerteza", disse o presidente-executivo da Ericsson Carl-Henric Svanberg em Estocolmo nesta sexta-feira. REUTERS/Patrick Sorquist/Scanpix</p>