Custos menores ajudam resultado da Vivo no 2o trimestre

quarta-feira, 29 de julho de 2009 08:19 BRT
 

Por Cesar Bianconi

SÃO PAULO (Reuters) - A Vivo teve lucro líquido de 172,4 milhões de reais no segundo trimestre, contra prejuízo de 63,9 milhões de reais um ano antes. O resultado da empresa foi beneficiado por uma forte redução dos custos, com impacto positivo também na geração de caixa.

A operadora de telefonia móvel, controlada por Telefónica e Portugal Telecom, diminuiu os custos operacionais de abril a junho em 7,2 por cento na comparação anual, para 2,738 bilhões de reais. Também houve queda de 2,8 por cento sobre o primeiro trimestre de 2009.

As maiores reduções foram verificadas no custo das mercadorias vendidas, basicamente aparelhos celulares, e nos gastos gerais e administrativos.

"Isso não é uma coisa excepcional... Nossas reduções de custos são consistentes. Espero que continuemos fazendo isso", disse à Reuters o presidente da Vivo, Roberto Lima, sem dar outros detalhes.

A receita líquida total da Vivo cresceu 3,8 por cento de abril a junho contra um ano antes, para 3,936 bilhões de reais. Considerando apenas a oferta de serviços, o faturamento subiu 7,1 por cento.

O aumento da receita com serviços ficou bem aquém da alta de 15,8 por cento na base de clientes da companhia em 12 meses, para 46,8 milhões em junho. Apenas no segundo trimestre a empresa conquistou quase 1,2 milhão de clientes.

"Existe uma competição muito acirrada que se fazia sobre preço de aparelho e hoje se faz sobre preço de serviço. É o fenômeno do chip. As pessoas começam a compartilhar seus gastos entre chips de várias operadoras", disse Lima.

A geração de caixa medida pelo Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação) subiu para 1,198 bilhão de reais nos três meses até junho, ante 841,7 milhões de reais no mesmo intervalo de 2008.   Continuação...