SAP eleva projeções e diz que o pior já passou para tecnologia

quarta-feira, 29 de julho de 2009 11:46 BRT
 

Por Nicola Leske

FRANKFURT, 29 de julho (Reuters) - A produtora alemã de software para empresas SAP elevou projeção de margem de lucro em 2009, com base em um segundo trimestre de resultados sólidos. O anúncio oferece ao combalido setor europeu de tecnologia expectativas de recuperação.

"Creio que o pior já tenha passado", disse Leo Apotheker, presidente-executivo da SAP, à rede de TV alemã N-TV, na quarta-feira. "Percebi que meus clientes estão encarando o futuro com mais otimismo, e parecem mais calmos e menos temerosos do que há três meses", acrescentou.

A SAP, maior produtora de software para gestão de negócios do mundo, também divulgou projeção de vendas para o ano, algo que não tinha feito até agora, e suas ações subiam 2,2 por cento.

A companhia antecipa que suas margens de lucro em 2009, excluídos itens extraordinários, fiquem entre 25,5 e 27 por cento, a taxas de câmbio constantes. Isso inclui custos de reestruturação não recorrentes da ordem de 200 milhões de euros (285,5 milhões de dólares) para demissões anunciadas anteriormente este ano. A projeção anterior da SAP era de 24 a 25,5 por cento.

No entanto, a empresa também informou que antecipa que as vendas de software e serviços relacionados caiam de quatro a seis por cento este ano.

Anteriormente, a SAP havia baseado suas projeções de margens na suposição de que as vendas centrais se manteriam estagnadas ou cairiam em cerca de um por cento ante os 8,6 bilhões de euros registrados em 2008.

"Estamos vendo os primeiros sinais de fim da recessão", disse Apotheker à CNBC, acrescentando que "a recuperação será lenta".

Um relatório divulgado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), na terça-feira, adotou tom semelhante.

"O faturamento dos fabricantes de semicondutores, um indicador para o setor de tecnologia da informação e comunicações, se recuperou acentuadamente em maio, depois de um severo colapso nos pedidos no primeiro trimestre de 2009", afirma o relatório.