Rufem os tambores para a primeira orquestra robótica gamelan

sexta-feira, 31 de julho de 2009 18:05 BRT
 

Por Gemma Haines

NOVA YORK (Reuters) - O que surge quando você mistura um cyborg e um conjunto de antigos instrumentos indonésios? Uma GamelaTron, claro.

O amor pela música e o fascínio pela robótica levaram dois homens de Brooklyn, Eric Singer e Taylor Kuffner, a propor a ideia de construir a primeira orquestra gamelan robotizada do planeta.

Inspirada pelas orquestras gamelan tradicionais de Bali e do Japão, a GamelaTron resultou da colaboração entre a League of Electronic Musical Urban Robots (Lemur), de Brooklyn, e o compositor Kuffner.

"A GamelaTron é uma coleção de instrumentos indonésios, conhecida como gamelan. Acrescentamos 'Tron' à palavra e temos uma versão eletrônica do gamelan", disse Singer, fundador da Lemur.

Alguns dos instrumentos utilizados na GamelaTron tem até 100 anos de idade, mas com um toque de modernidade: quem os toca são robôs.

"O que temos são 117 braços mecânicos que funcionam essencialmente como martelos e formam uma rede controlada por um laptop. Assim, não temos um robô humanóide por atrás de cada instrumento, e sim uma rede de braços mecânicos", disse Kuffner.

Singer afirmou que um microprocessador ou um computador muito pequeno tem papel central em cada instrumento ou grupo de instrumentos, que interpretam sinais musicais que podem vir de um computador, um teclado ou alguma outra forma de instrumento musical eletrônico.

O microprocessador se encarrega de controlar impulsos elétricos que se encaminham a diversos dispositivos eletromecânicos.

Embora não haja nada de novo nos robôs, que substituíram seres humanos em linhas de montagem utilizadas para produzir artigos como automóveis e chips de computador, o conceito de cyborgs musicais ainda causa estranheza a muita gente, disse Singer.

"Quando conto às pessoas o que faço, elas em geral param, acenam com a cabeça e depois perguntam exatamente o que quero dizer com aquilo", afirmou.