China investiga tratamento para viciados em Internet após morte

quinta-feira, 6 de agosto de 2009 10:14 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - A polícia chinesa está investigando um campo de treinamento semimilitar para viciados em Internet, depois de um adolescente morrer aparentemente após ser violentamente agredido, disse a agência Xinhua.

Quatro instrutores do acampamento foram detidos por causa da morte de Deng Senshan, 15 anos, que tinha ferimentos no corpo todo, disse uma fonte oficial à imprensa chinesa.

A China tem cerca de 300 milhões de usuários da Internet, maior contingente mundial, e há mais de 200 organizações que oferecem tratamento para distúrbios ligados ao uso excessivo, especialmente por parte de jovens que buscam um escape em relação às fortes expectativas depositadas neles por seus pais.

Muitos acampamentos para os viciados estão imbuídos de uma atmosfera militar. Os pacientes são forçados a substituir as várias horas diante do computador por atividades físicas intensas ou outros "tratamentos" mais radicais.

Em julho, a China proibiu a terapia com eletrochoques no combate ao vício da Internet, depois de a imprensa noticiar que um psiquiatra havia dado choques em quase 3.000 adolescentes.

Tao Ran, diretor da primeira clínica chinesa para dependentes da Internet, criticou em entrevista à Xinhua "a falta de padrões de diagnósticos e diretrizes de tratamento".

"A tragédia não é acidental. A maioria dos acampamentos de reabilitação adotam um treinamento militar, mas muitos adolescentes viciados em Internet não conseguem lidar bem com isso. Então isso vem acompanhado de conflitos e violência."

(Reportagem de Emma Graham-Harrison)