China investiga centro para viciados em Internet após morte

quinta-feira, 6 de agosto de 2009 16:19 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - A polícia chinesa está investigando um centro de recuperação para viciados em Internet após a morte de um adolescente, aparentemente depois de ter sofrido uma grave surra, horas após sua admissão, informou a agência oficial de notícias Xinhua no final da quarta-feira.

Quatro treinadores do centro foram detidos por suposta conexão com a morte de Deng Senshan, de 15 anos, após a descoberta de feridas por todo seu corpo, segundo a mídia local, citando autoridades do governo.

A China conta com a maior população de usuários de Internet do mundo, sendo quase 300 milhões no final do ano passado.

Os problemas causados pelo uso excessivo da Internet vêm aumentando, especialmente entre os jovens, que buscam uma fuga do peso das expectativas de seus pais. Atualmente, existem mais de 200 organizações que oferecem tratamentos para doenças relacionados ao uso da Internet em toda a China.

Muitos desses centros estão imbuídos de um ambiente militar. Os pacientes são forçados a trocar horas em frente ao computador por exercícios árduos e "tratamentos" ainda mais severos.

Em julho, a China proibiu o uso de eletrochoque como tratamento para vício de Internet, após relatos na mídia sobre um polêmico psiquiatra que usou correntes elétricas em quase 3 mil adolescentes.

"O mercado de tratamentos para viciados em Internet na China está uma bagunça devido à falta de padrões diagnósticos e regras de tratamento", disse o diretor da primeira clínica de tratamento do país, Tao Ran, citado pela Xinhua.

"A tragédia não foi um acidente. A maioria desse centros de reabilitação usa treinamento militar, mas muitos adolescentes viciados em Internet não aguentam bem. Então isso gera conflito e violência".

(Reportagem de Emma Graham-Harrison)