Boom de celulares inteligentes reduz queda na venda de aparelhos

quarta-feira, 12 de agosto de 2009 11:15 BRT
 

Por Tarmo Virki

HELSINQUE (Reuters) - As vendas mundiais de celulares continuaram a cair de abril a junho, mas em ritmo mais lento do que nos três meses anteriores, já que a queda nos preços estimulou a demanda por celulares inteligentes avançados, informou o grupo de pesquisa Gartner nesta quarta-feira.

As vendas mundiais de celulares caíram em 6 por cento no segundo trimestre, devido aos efeitos da recessão sobre os consumidores nos mercados desenvolvidos e emergentes, informou o Gartner, acrescentando que ainda prevê queda de 4 por cento nesse mercado para 2009.

De janeiro a março, o setor de celulares teve seu pior trimestre de todos os tempos, com queda de 9 por cento nas vendas ao consumidor.

"As coisas estão definitivamente se estabilizando, no que tange à demanda", disse a analista Carolina Milanesi, do Gartner.

Além da demanda mais fraca dos consumidores, o setor também foi afetado pela redução dos grandes estoques de celulares não vendidos do varejo, iniciada quando a desaceleração econômica apertou, no final de 2008.

O Gartner informa que os estoques do varejo caíram em cerca de 14 milhões de aparelhos no trimestre mais recente, ante declínio de 25 milhões de unidades no primeiro trimestre, e informou que antecipa que os estoques tenham efeito menor sobre o mercado na segunda metade de 2009.

Contrariando a desaceleração do mercado mais amplo, as vendas de celulares inteligentes subiram em 27 por cento no segundo trimestre, ante igual período em 2008, estimuladas por aparelhos de preço mais baixo, como o Nokia 5800, o primeiro modelo com tela de toque produzido pela empresa, que oferece funções avançadas aos usuários por um preço de entre 200 e 300 euros.

Os celulares inteligentes oferecem muitas funções semelhantes às dos computadores, com serviços como e-mail e navegação pela Internet.   Continuação...