Usuários do Google fazem mais buscas e são mais leais--pesquisa

sexta-feira, 14 de agosto de 2009 17:35 BRT
 

LOS ANGELES (Reuters) - O líder do mercado de buscas na Internet Google tem mais lealdade de seus usuários, que fazem mais buscas por mês que os usuários do Yahoo! e da Microsoft, mostram novos dados divulgados nesta sexta-feira, o que gera um desafio ao novo time de concorrentes do Google.

O Yahoo! e a Microsoft ficam muito atrás do Google em termos de participação de mercado. Além disso, usuários do Google fazem em média 54,5 buscas por mês --cerca de duas vezes o número de pesquisas feitas por usuários do Yahoo! e da Microsoft juntos. Eles fazem em média 26,9 buscas por mês, segundo a comScore.

A comScore também descobriu que os usuários do Google são mais leais, fazendo quase 70 por cento de todas suas pesquisas nos sites do Google. Já as pessoas que usam os site do Yahoo! e da Microsoft, juntas, fazem suas pesquisas lá cerca de 33 por cento das vezes e também usam muito o Google.

Apesar de o Yahoo! e a Microsoft, que fecharam um acordo de buscas de 10 anos em julho para conter o avanço do Google, ainda estarem atrás da concorrente em termos de participação de mercado, as empresas têm uma "oportunidade real de progredir uma vez que quase três quartos de todos os usuários fazem pelo menos uma busca nesses sites todo mês", disse o analista da comScore Eli Goodman.

"O desafio será criar uma experiência de busca que seja atrativa o suficiente para converter usuários peso-leve em usuários regulares, o que é geralmente mais fácil que converter novos usuários", disse Goodman em comunicado.

Se as empresas conseguirem atingir o mesmo nível de buscas feitas por seus usuários com o número feito por usuários do Google, o Yahoo! e a Microsoft, que recentemente lançou seu novo site de buscas Bing, deteriam mais de 40 por cento de participação do mercado, acrescentou Goodman.

O Google domina o mercado-base de buscas nos Estados Unidos com uma participação de 65 por cento nas buscas em junho, em comparação com os 28 por cento do Yahoo! e da Microsoft juntas.

(Reportagem de Laura Isensee)