August 19, 2009 / 5:20 PM / in 8 years

Executivo da Microsoft vê risco em acordo com Yahoo

3 Min, DE LEITURA

Por Bill Rigby

SEATTLE (Reuters) - A Microsoft descreveu confiantemente seu acordo na área de publicidade vinculada a buscas na Internet com o Yahoo como "ganha-ganha", mas o diretor jurídico da companhia está preparado para reconhecer que o resultado não é certo.

O acordo, firmado no final de julho após meses de negociações, enfrenta uma difícil revisão regulatória, e a possibilidade de não ser suficiente para desafiar efetivamente o Google.

"Para ambas as companhias, será correto dizer que isso não é livre de riscos", disse o diretor jurídico da empresa, Brad Smith, em uma entrevista na semana passada. "Eu não conheço qualquer investimento que seja".

A parceria, estabelecida em 30 de julho, propõe que o Bing, da Microsoft, se torne a ferramenta de busca para ambas as companhias, enquanto o Yahoo estará focado em atrair grandes anunciantes.

Acionistas da Microsoft em geral receberam com agrado o acordo, mas as ações do Yahoo despencaram, com investidores lamentando a ausência de um pagamento adiantado ou garantias de receita em dólares.

Analistas assinalaram que a Microsoft ainda tinha um incentivo para tomar participação de mercado do Yahoo, e que a equipe de vendas do Yahoo pode acabar vendendo anúncios pelos quais não receberá caso o clique aconteça no site da Microsoft.

Smith admitiu que tal situação é possível, mas relevou: "Eu acho que há um retorno de negócios atrativo que cada companhia tem forte oportunidade de gerar para seus acionistas".

O primeiro obstáculo é uma revisão antitruste, que a Microsoft e o Yahoo não esperam que seja concluído até o começo de 2010.

"É impossível saber ao certo quanto tempo levará essa revisão, obviamente isso depende dos governos envolvidos", explicou Smith.

A Microsoft está confiante de que pode persuadir reguladores de que um concorrente mais forte para o Google atende aos interesses do mercado.

"É amplamente reconhecido por governos ao redor do mundo que o mercado de buscas precisa se tornar mais competitivo", acrescentou ele.

"O único modo de fazer isso é juntar o segundo e terceiro maiores fornecedores e, com isso, criar um contrapeso mais forte para o número um".

Segundo pesquisa da própria companhia, o Google domina 78 por cento do mercado de busca paga dos Estados Unidos, contra fatia de 16 por cento do Yahoo e 6 por cento da Microsoft.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below