Um terço dos europeus está insatisfeito com compras online

terça-feira, 25 de agosto de 2009 19:04 BRT
 

MADRI (Reuters) - Um em cada três usuários europeus de Internet não se mostrou satisfeito com as possibilidades de compra oferecidas através da Web, o que faz com que os gastos do consumidor na Internet não sejam elevados, segundo um estudo da empresa Art Technolgy Group (ATG) divulgado nesta terça-feira.

Um terço dos internautas diz estar descontente com o serviço que obtém ao fazer compras pela Internet, segundo a pesquisa da empresa norte-americana para estudar soluções para o comércio eletrônico.

A pesquisa avalia que a insatisfação com o serviço online é a causa dos baixos gastos no setor e demonstra que um maior cuidado com o consumidor elevaria o faturamento.

A falta de serviço ao cliente é a maior preocupação para 64 por cento dos europeus na hora de comprar pela Internet. As dificuldades de pagamento e as senhas são outros problemas destacados pelos mais de 6.500 internautas entrevistados, segundo mostra o estudo.

O setor de lazer e entretenimento é o que tem o melhor serviço para 43 por cento dos usuários entrevistados, enquanto o setor de casa e decoração é o que menos se adapta às exigências dos consumidores.

A possibilidade de comparação de produtos, a rapidez e eficiência e a disponibilidade de opiniões de outros usuários são os principais benefícios do comércio eletrônico apontados pelos internautas europeus.

Mais da metade dos entrevistados afirmou que não gasta mais de 50 euros em uma só compra pela Internet.

O vice-presidente da ATG Europa, Frank Lord, considera que o setor ainda era muito novo na Europa e que um cuidado maior no serviço ao consumidor permitiria a expansão internacional do comércio eletrônico.

"Está claro que os varejistas na Internet, na Europa, ainda estão se encontrando", disse Lord em comunicado. "A verdadeira expansão internacional é melhor administrada a partir de uma plataforma que ofereça uma experiência simples ao consumidor, em vários países, línguas e páginas da Web".