Amazon junta-se a inimigos de projeto de livros do Google

quarta-feira, 2 de setembro de 2009 14:52 BRT
 

Por Diane Bartz

WASHINGTON (Reuters) - A Amazon.com aderiu à oposição ao plano do Google de digitalizar milhões de livros, afirmando que o projeto proposto viola leis de defesa da concorrência.

A Amazon, que digitaliza livros depois de obter permissão do detentor do direito autoral da obra, afirmou a justiça deveria rejeitar um acordo fechado entre o Google e a Authors Guild porque o acerto previsto constitiu uma prática de fixação de preços.

A Amazon.com também argumenta que o tribunal que avalia o acordo não está bem preparado para "fazer os ajustes necessários para se acomodar os muitos interesses públicos em jogo quando uma nova tecnologia surge oferecendo tanto a promessa de benefícios ao público e o perigo do abuso de consumidores e detentores de direitos autorais".

Os rivais do Google, Microsoft e Yahoo, também se opõem ao plano, enquanto a Associação de Bibliotecas da América e a Associação de Bibliotecas de Pesquisa pediram supervisão da Justiça.

Algumas bibliotecas temem que o plano dará ao Google capacidade ilimiatada para definir preços para elas assim que colocar os livros digitalizados na Internet. Se o serviço tornar-se uma necessidade para as bibliotecas, elas enfrentarão monopólio de preços, afirmam os rivais do Google.

O Departamento de Justiça dos EUA está investigando a operação enquanto a União Européia, incentivada pela Alemanha, tem afirmado que vai avaliar a operação.

O acordo surgiu para solucionar um processo de 2005 aberto pela Authors Guild, que alegava que o projeto de digitalização violava de direitos autorais.

O Google aceitou pagar 125 milhões de dólares para criar o Registro de Direitos de Livros, onde autores e editoras podem registrar trabalhos e receber compensação pelo uso de suas obras.