Detetives virtuais perseguem spammers em videogames

quinta-feira, 3 de setembro de 2009 10:51 BRT
 

Por John Gaudiosi

LAS VEGAS, Estados Unidos (Reuters) - Os jogadores que competem contra rivais de todo o mundo em jogos online para múltiplos participantes contam com uma nova força de apoio: equipes de detetives dentro dos mundos virtuais.

Enquanto algumas empresas causam incômodo aos usuários de computadores pessoais com a difusão de spam e vírus por email, uma nova espécie de companhia de spam vem operando no imenso mundo dos jogos online para múltiplos jogadores, como o "World of Warcraft", da Activision Blizzard.

Os personagens de jogo controlados por jogadores que trabalham para empresas de spam se infiltram nesses mundos virtuais e bombardeiam os participantes com anúncios para a venda de produtos relacionados ao game, como espadas ou até personagens jogáveis.

Esse tipo de atividade é proibida por todas as produtoras de jogos e por isso a Sony Online Entertainment (SOE), que gerencia jogos como "EverQuest", "Star Wars Galaxies" e "Free Realms", decidiu que exercitará seu poder.

A Sony criou o Norathian Underground Gnome Investigation Team, ou NUGIT, uma referência ao mundo de fantasia de Norath, em "Everquest".

A equipe de nove membros se concentra em fraudes praticadas no mundo do jogo, funcionando como um grupo de detetives que policia os mundos virtuais da SOE em busca de praticantes de spam, tentando revelar todas as suas operações.

"As pessoas se frustram muito diante do spam. É o equivalente a receber cartas comerciais indesejadas, e quando você encontra essa prática no jogo, é muito frustrante", disse John Smedley, presidente da Sony Online Entertainment.

Até o momento, a SOE já fechou 295 mil contas em seus jogos múltiplos, como resultado das patrulhas da NUGIT.   Continuação...