9 de Setembro de 2009 / às 00:37 / em 8 anos

Vivendi faz acordo para comprar GVT por R$5,4 bilhões

PARIS/SÃO PAULO (Reuters) - O grupo francês Vivendi anunciou um acordo com os acionistas controladores da GVT para comprar a companhia brasileira de telecomunicações, com a intenção de desembolsar 5,4 bilhões de reais por 100 por cento do capital da empresa.

O valor proposto por ação, de 42 reais, representa um prêmio de quase 16 por cento sobre o preço de fechamento dos papéis na Bovespa na terça-feira.

Em comunicado, a Vivendi informou que pretende lançar uma Oferta Pública de Aquisição (OPA) pelas ações da GVT no mercado, sob determinadas condições a serem cumpridas até 16 de outubro. Uma delas é a eliminação de um mecanismo para evitar ofertas hostis de compra que está no estatuto da GVT.

Os controladores da empresa brasileira já concordaram em apoiar a mudança do estatuto, para permitir a aquisição da companhia pelo grupo francês de comunicações e entretenimento.

O estatuto da GVT estabelece que, em caso de OPA, o preço de compra de cada ação da empresa não poderá ser inferior a 125 por cento da cotação mais alta do papel nos últimos 12 meses. Com base apenas no histórico de cotações deste ano, esse valor superaria com folga os 42 reais oferecidos pela Vivendi.

Se o negócio for adiante, a expectativa é que a OPA ocorra até o final deste ano. Conforme a Vivendi, Shaul Shani e Amos Genish continuarão como presidente do Conselho e presidente-executivo da GVT.

Procurada, a GVT informou que seus principais executivos não iriam se pronunciar até a quarta-feira.

“A Vivendi e a GVT irão capitalizar suas respectivas forças para permitir que a GVT continue a acelerar seu crescimento. A experiência da Vivendi em conteúdo dará suporte aos planos da GVT de entrar em novos mercados”, disse o grupo francês.

Em virtude do acordo, a oferta secundária de ações da GVT que estava em andamento, anunciada em 19 de agosto, está cancelada, informou a Vivendi.

As ações da GVT encerraram o pregão de terça-feira na Bovespa com alta de quase 5 por cento, a 36,26 reais.

A GVT foi constituída em setembro de 1999, com sede em Curitiba, no Paraná. A empresa encerrou junho com cerca de 2,3 milhões de linhas em serviço, incluindo voz, banda larga, dados e serviços de voz sobre Protocolo de Internet (VoIP, na sigla em inglês).

Reportagem de Cesar Bianconi

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below