Novo suicídio na France Telecom choca sindicatos

sexta-feira, 11 de setembro de 2009 17:42 BRT
 

Por Leila Abboud

PARIS (Reuters) - Uma funcionária da France Telecom se suicidou nesta sexta-feira, em mais um caso de morte dessa forma na ex-estatal que os sindicatos afirmam serem causadas principalmente pela reestruturação crônica da empresa e por pressões no ambiente de trabalho.

A companhia informou que a mulher de 32 anos cometeu suicídio em um dos escritórios do grupo em Paris, mas não deu mais detalhes. Uma fonte sindical afirmou que a funcionária pulou da janela do quarto andar de um prédio após uma reunião.

Sua morte aumenta para 19 o número de suicídios ou tentativas de suicídio registradas desde o começo de 2008, incluindo sete neste ano, segundo os sindicatos que representam funcionários da France Telecom.

"Acreditamos que a gerência não tem capacidade de lidar com a situação", disse o representante do sindicato CFE-CGC Sebastien Crozier à rádio RTL.

"Podemos pedir ao principal acionista (da empresa), que continua sendo o Estado, que intervenha para que os funcionários não sintam mais a necessidade de acabar com a vida porque não aguentam mais viver na France Telecom".

Na quarta-feira, um técnico de 48 anos da cidade de Troyes esfaqueou a si próprio durante uma reunião, após ouvir que teria que mudar de função na mesma cidade, disse a empresa.

Ele passa por tratamento para as feridas no abdome em um hospital local.

A France Telecom, que não divulgou seus próprios dados sobre os suicídios, anunciou na quinta-feira um congelamento temporário de transferências e de mudanças de funções de funcionários até o final de outubro.

A empresa prometeu contratar 100 funcionários de recursos humanos para identificar empregados com problemas.

(Reportagem adicional de Marie Mawad)