Agências de segurança da Índia querem proibir telefonia pela Web

quinta-feira, 17 de setembro de 2009 14:18 BRT
 

NOVA DÉLHI (Reuters) - Agências de segurança da Índia recomendaram uma proibição a chamadas telefônicas internacionais pela Internet até que um sistema de rastreamento de chamadas esteja disponível. A recomendação é a mais recente em uma série de medidas do país para melhorar sua segurança após os ataques ocorridos em Mumbai.

A Índia teme que grupos militantes operando de outros países possam usar a telefonia pela Internet para contornar sistemas de segurança no planejamento e execução de ataques, afirmaram autoridades.

"Uma vez que é impossível rastrear chamadas pela Internet feitas a partir de outros países, temos pedido ao Departamento de Telecomunicações para bloquear tais chamadas até que um sistema seja instalado", disse um oficial do departamento de Inteligência indiano pedindo para não ser identificado.

A Índia iniciou uma ampla revisão de seus sistemas de segurança depois que militantes mataram 166 pessoas em Mumbai em novembro de 2008.

A polícia afirma que recuperou um telefone por satélite e informou que militantes mantiveram contato com seus chefes no Paquistão através de celulares e telefonia pela Internet.

No ano passado, a Índia informou que estava preocupada com emails enviados por meio de celulares BlackBerry que não podiam ser rastreados ou interceptados. A companhia fabricante do aparelho mais tarde concordou com diretivas de segurança da Índia após uma série de reuniões com o governo.

Várias empresas oferecem telefonia pela Internet atualmente, incluindo Skype, Google, Yahoo e Microsoft. Qualquer proibição poderia afetar milhares de pessoas que utilizam a tecnologia para baratear chamadas telefônicas.