Google trabalha em recarga "inteligente" para veículos híbridos

quarta-feira, 30 de setembro de 2009 10:33 BRT
 

Por Poornima Gupta

SAN FRANCISCO (Reuters) - O Google está começando a procurar maneiras de criar software para integrar plenamente os veículos híbridos recarregáveis em tomada à rede elétrica, a fim de minimizar a sobrecarga da rede e ajudar as empresas de energia a administrar a tarefa de recarregar as baterias de veículos.

"Estamos realizando alguns trabalhos preliminares", disse o diretor de iniciativas de energia e mudança climática do Google, Dan Reicher. "Começamos a trabalhar na recarga inteligente de veículos elétricos e em como integrar grande número de veículos elétricos à rede de energia de maneira eficiente."

"Já trabalhamos um pouco no aspecto de software, para determinar de que maneira seria possível criar um código de computador que administrasse essa espécie de infraestrutura de recarga", declarou ele em entrevista durante uma conferência setorial.

O Google, conhecido por seu serviço de buscas na Internet, anunciou em 2007 um programa para testar o Toyota Prius e o Ford Escape, veículos híbridos acionados por motores elétricos e a gasolina mas convertidos pela empresa em híbridos recarregáveis via rede elétrica e acionados prioritariamente por eletricidade.

Uma das tecnologias experimentais em teste pelo gigante das buscas na Web permitiria que os veículos recarregáveis via rede elétrica estacionados transferissem energia de volta à rede, o que ofereceria um potencial de reserva para o sistema durante os horários de pico.

O Google já está realizando esforços para enfrentar as questões da mudança climática por meio dos esforços filantrópicos de sua divisão Google.org.

Reicher diz que a frota de híbridos recarregáveis via rede elétrica da companhia vem sendo testada "de forma muito intensa" nos dois últimos anos.

"Uma das melhores coisas desses veículos é a grande oportunidade que oferecem de termos pela primeira vez, e enfim, uma tecnologia de armazenagem", afirmou.

Reicher disse que a empresa quer descobrir como administrar o impacto da recarga simultânea de milhões de veículos elétricos, no futuro.