Apple abandona Câmara de Comércio dos EUA por política climática

segunda-feira, 5 de outubro de 2009 20:33 BRT
 

WASHINGTON (Reuters) - A Apple renunciou nesta segunda-feira à sua vaga na Câmara de Comércio dos Estados Unidos devido a divergências em relação à política de mudanças climáticas do grupo industrial.

"Gostaríamos que a câmara tomasse uma posição mais progressiva em relação a esta questão crítica e que desempenhasse um papel mais construtivo ao lidar com a crise climática", disse a vice-presidente de assuntos do governo da Apple, Catherine Novelli, em carta nesta segunda-feira ao grupo.

Novelli afirmou, na carta, que a Apple renunciou à sua posição como membro do grupo industrial "imediatamente".

No mês passado, três grandes empresas de energia norte-americanas, Exelon, PG&E and PNM Resources, deixaram a câmara pela mesma razão.

Outras empresas já criticaram o grupo, que tem pressionado por audiências públicas para contradizer as provas científicas de que as mudanças climáticas se devem à ação do homem. Críticos afirmam que o ponto de vista da câmara não reflete o ponto de vista mais amplo de seus membros, em se tratando do clima.

Após a Exelon anunciar sua renúncia no mês passado, a câmara afirmou em comunicado que é a favor das opiniões "em voga, de bom senso" sobre mudanças climáticas, mas se opõe ao projeto de lei que por pouco foi aprovado pela Câmara norte-americana em junho.

Senadores democratas revelaram uma nova versão do projeto na semana passada, baseada no projeto de lei da Câmara, embora o futuro da proposta seja incerto.

(Reportagem de Timothy Gardner)