Telefônica contra-ataca e oferece R$6,5 bi por GVT

quarta-feira, 7 de outubro de 2009 16:44 BRT
 

Por Cesar Bianconi e Guillhermo Parra-Bernal

SÃO PAULO (Reuters) - A Telefônica ofereceu nesta quarta-feira cerca de 6,5 bilhões de reais para comprar a GVT, em um contra-ataque para evitar a chegada de uma concorrente no mercado de telecomunicações brasileiro.

A subsidiária do grupo espanhol --operadora de telefonia fixa no Estado de São Paulo-- se dispôs a pagar 48 reais por ação da GVT --14,3 por cento acima do que a francesa Vivendi tinha acertado com os controladores da empresa-alvo em meados de setembro.

Às 14h40, as ações da GVT disparavam 13,86 por cento na Bovespa, para 46,57 reais, aproximando-se do preço apresentado pela Telefônica, cujas ações na bolsa paulista apresentavam queda de 1,5 por cento, a 43,73 reais. O Ibovespa tinha alta de 0,04 por cento.

"A Telesp (Telefônica SP) entende que a conjugação das suas operações e da GVT apresenta uma lógica estratégica bastante atraente para ambas as companhias", informou a empresa em fato relevante nesta manhã.

Executivos da Telefônica não revelaram o montante de sinergias calculadas pela integração dos negócios da GVT. Disseram apenas que importantes reduções de custos virão da venda cruzada de produtos, sobretudo para clientes corporativos, e no uso dos backbones de ambas as companhias.

Em 8 de setembro, os controladores da GVT acertaram a venda da companhia para o grupo francês Vivendi, que se dispôs a pagar 42 reais por ação da empresa, um negócio de 5,4 bilhões de reais.

Analistas acreditavam que poderiam surgir ofertas rivais e citavam a Telefónica como provável candidata.

Segundo a Telefônica, as operações da GVT "apresentam um encaixe geográfico perfeito com as operações", garantindo "a ampliação da concorrência no mercado de telecomunicações em âmbito nacional".   Continuação...