França discute estresse no trabalho após onda de suicídios

sexta-feira, 9 de outubro de 2009 16:05 BRT
 

PARIS (Reuters) - Companhias francesas devem reduzir o estresse no ambiente de trabalho para evitar a recente onda de suicídios no país, disse o ministro do Trabalho francês, Xavier Darcos, nesta sexta-feira.

Na France Telecom, antiga estatal que hoje é a terceira maior empresa de telecomunicações da Europa, 24 funcionários cometeram suicídio, e vários outros também tentaram se matar, desde o começo de 2008.

"Há anos, subestimamos os riscos psicológicos, já que é mais fácil perceber alguém caindo numa fornalha do que alguém que está sofrendo", disse Darcos em discurso a um conselho de condições de trabalho. "E mesmo assim, (riscos psicológicos) são reais, como mostra a situação na France Telecom de forma especialmente trágica".

Darcos pediu que as 2.500 empresas francesas com mais de mil funcionários que finalizem suas negociações com os sindicatos para reduzir o estresse, que líderes trabalhistas afirmam estar por trás da recente onda de suicídios, até 1o de fevereiro do ano que vem.

A France Telecom já abriu as negociações, com base em um acordo de 2008 com os sindicatos.

Seu presidente-executivo, Didier Lombard, que vem recebendo críticas após descrever a onda de suicídios com "modinha", disse que não prestou atenção aos primeiros sinais de que algo estava errado.

"Creio que subestimamos um certo número de fatores humanos", disse ele à rádio Europe 1. "Passamos por grandes mudanças, o que provavelmente fizemos muito rápido".

(Reportagem de Gerard Bon)

 
<p>O presidente-executivo da France Telecom, Didier Lombard, se reuniu com Xavier Darcos, o ministro do Trabalho franc&ecirc;s, para discutir a quest&atilde;o em setembro. REUTERS/Charles Platiau</p>