Microsoft lança seu maior pacote de reparos, que inclui Windows7

terça-feira, 13 de outubro de 2009 19:42 BRT
 

SEATTLE (Reuters) - A Microsoft lançou nesta terça-feira seu maior pacote de atualizações até agora para reparar uma série de problemas de segurança de seus programas, incluindo o novo sistema operacional Windows 7, que ainda não foi lançado.

Em atualização mensal enviada para usuários de seus softwares, a Microsoft lançou 13 boletins de segurança, ou reparos, para lidar com as 34 vulnerabilidades encontradas em seus programas, entre eles Windows, Internet Explorer, Silverlight, Office e outros produtos.

A empresa afirmou que seis dos reparos são de alta prioridade e deve ser implementados imediatamente. Os reparos --que atualizam o software para desfazer erros-- são criados para proteger usuários de hackers e softwares mal-intencionados baixados da Internet.

Várias dessas atualizações afetam o Windows 7, o novo sistema operacional da fabricante de softwares, que será lançado oficialmente na semana que vem, mas já é usado por muitos em versões de teste.

É muito cedo para sinalizar problemas de segurança com o Windows 7, o que pode ser preocupante para a Microsoft, que espera que o novo sistema operacional apague as más lembranças de consumidores que compraram sua última versão, o Windows Vista.

Não foi possível contatar um porta-voz da Microsoft para dizer se a empresa detectou mais problemas de segurança com o Windows 7. A fabricante de softwares geralmente não divulga problemas até que reparos já estejam disponíveis.

As vulnerabilidades do Windows 7, que incluem o risco de um hacker tomar controle sobre o computador, são falhas graves, mas esperadas, segundo o pesquisador-chefe da McAfee, Dave Marcus.

"Enquanto os humanos continuarem desenvolvendo códigos, sempre haverá vulnerabilidade", disse.

O pacote de atualizações desta terça-feira inclui o maior número de reparos lançados em um único dia pela Microsoft.

Usuários corporativos dos softwares terão de testar os reparos antes de instalá-los para ter certeza de que não farão com que haja uma falha nas máquinas devido a problemas de compatibilidade com os softwares já instalados.

(Reportagem de Bill Rigby e Jim Finkle)