Comunidade cubana dividida se encontra no "Planeta Facebook"

quinta-feira, 15 de outubro de 2009 15:28 BRT
 

Por Esteban Israel

HAVANA (Reuters) - Susana nunca botou os pés fora de Cuba, mas ela tem várias fotos das casas de seus amigos em Miami, dos novos carros deles e mesmo da danceteria da moda onde foram numa noite recente.

Como a maioria de seus colegas cubanos, ela está conseguindo ver um pouco do mundo exterior através do Facebook, a rede social na Internet que permite cada vez mais o contato dos cubanos com os exilados da ilha comunista.

"É um modo de se manter em contato com o resto do mundo. Você checa as páginas de seus amigos que vivem no exterior e vê como eles vivem, aonde vão, com quem estão saindo. É como se eu estivesse lá", disse a farmacêutica de 24 anos.

"Todos os meus amigos cubanos que têm acesso à Internet hoje estão no Facebook", disse.

Com pelo menos 1,5 milhão de exilados cubanos vivendo no exterior -- a maior parte nos Estados Unidos, a apenas 140 quilômetros de Cuba -- e com os interurbanos caros demais para a maior parte dos moradores da ilha caribenha, o Facebook fornece um novo modo para que a dividida comunidade cubana volte a se unir.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, levantou as restrições às visitas de parentes cubano-americanos à ilha, mas milhares de famílias cubanas continuam separadas.

O Facebook não diz como tantas pessoas em Cuba conseguiram se cadastrar no serviço, mas há vários indícios de que o número está aumentando - uma proeza em um país onde o acesso à Internet é limitado.

Alain Ramirez, fundador de um grupo no Facebook para ex-estudantes da prestigiada escola secundária Lênin em Havana, estima que 30 por cento dos 1.750 membros do grupo estão em Cuba.   Continuação...