Dell prevê que estímulo do Windows 7 virá na metade de 2010

quarta-feira, 21 de outubro de 2009 12:36 BRST
 

HONG KONG (Reuters) - A demanda por computadores de parte das grandes empresas deve começar a subir já pela metade de 2010, como resultado do lançamento do sistema operacional Windows 7, pela Microsoft, esta semana, disse um importante executivo da Dell na quarta-feira.

A Dell também está observando os setores de serviços e de software de virtualização para possíveis aquisições futuras, disse o presidente da Dell para grandes clientes corporativos, Stephen Schuckenbrock, a jornalistas.

"O Windows 7 é o melhor lançamento de um produto de qualidade que a Microsoft realiza em muito tempo", disse Schuckenbrock. "Se considerarmos que o Vista foi um fiasco, o Windows 7 representa uma melhora de capacidade em escala que jamais foi vista."

A Microsoft lançará o Windows 7 na quinta-feira, e muitos fabricantes de computadores esperam que isso anime os ciclos de substituição empresariais, com a compra de novos computadores e servidores por companhias que ainda operam com versões antigas do Windows.

A terceira maior fabricante mundial de computadores pessoais recentemente concluiu a aquisição da Perot Systems, fornecedora de serviços de software, em seu esforço por se expandir para atividades que oferecem maior margem de lucro, em um momento no qual os computadores pessoais se tornam cada vez mais indistintos e as margens de lucro se reduzem rapidamente.

A empresa quer continuar a expandir suas capacidades de serviço e vai se manter aberta a oportunidades de aquisição a fim de atingir esse objetivo, disse Schuckenbrock.

"Eu procuraria por capacidades de serviço, em nosso esforço por ajudar os clientes a economizar. Software que permita aos nossos clientes explorar todas as vantagens da virtualização é algo em que sempre estamos interessados", disse.

A Dell e o Lenovo registraram queda em seu volume de vendas no ano passado, em larga medida devido à sua dependência de clientes empresariais, e estão se esforçando por diversificar seus negócios a fim de conter o declínio de vendas.

(Reportagem de Jim Finkle e Ritsuko Ando)