Acer quer proteger margens e vê salto nas vendas

quinta-feira, 22 de outubro de 2009 10:09 BRST
 

Por Phil Smith e Kelvin Soh

TAIPEI, 22 de outubro (Reuters) - A Acer, segunda maior fabricante mundial de computadores pessoais, pretende elevar sua receita em mais de 70 por cento nos três próximos anos, mas mantendo as margens, de maneira a evitar uma ascensão e queda meteórica como a que sofreu menos de uma década atrás.

Boa parte do crescimento deve vir dos netbooks, computadores portáteis de baixo custo, que a Acer antecipa que devem registrar alta de vendas de 50 por cento em 2010, disse J. T. Wang, presidente do conselho da empresa, mencionando a melhora na economia mundial e a tendência de venda de computadores menores e mais móveis como explicação para o crescimento explosivo.

A Acer, de Taiwan, foi a marca de computadores de mais rápido crescimento no terceiro trimestre, com embarques 25 por cento maiores do que os do período um ano atrás e desempenho superior ao da Hewlett-Packard, Lenovo e Toshiba, de acordo com o grupo de pesquisa IDC.

"A ideia é atingir os 30 bilhões de dólares o mais rápido possível," disse Wang à Reuters em seus primeiros comentários públicos desde que a Acer superou a Dell e chegou ao segundo posto entre as fabricantes mundiais de computadores, no terceiro trimestre.

"Ao considerarmos o mercado como um todo, e se os computadores pessoais começarem a crescer no ano que vem, e os portáteis tiverem o potencial de se tornar um mercado de 200 bilhões de dólares, 30 bilhões de dólares é uma meta humilde," disse Wang, que trabalha com a empresa há 28 anos, em entrevista.

Ele foi contratado pela predecessora da companhia, a Multitech, como engenheiro de vendas, em 1981, e se tornou presidente do conselho em 2005, depois da aposentadoria do Stan Shih, o fundador da Acer.

"A Acer está registrando forte crescimento e deve superar a tendência do mercado, em longo prazo," disse Michael On, diretor executivo da Beyond Asset Management, que tem cerca de 60 bilhões de dólares sob administração mas não conta com ações da Acer em sua carteira.

"Mas 30 bilhões de dólares parece ser uma meta bastante ambiciosa, e provavelmente representa uma previsão otimista," acrescentou.